Cuiabá, 23 de Julho de 2019

POLÍTICA
Segunda-feira, 22 de Abril de 2019, 15h:39

CRISE SEM FIM

Ministro diz que só enviará recurso à Santa Casa se receber um plano de gestão

Fernanda Nazário
Única News

divulgação

A crise na Santa Casa parece estar longe de terminar. Fechada desde 11 de março e com funcionários sem salário há sete meses, o hospital filantrópico não receberá tão logo recurso federal para resolver seu problema administrativo e financeiro. Em entrevista coletiva à imprensa nesta segunda-feira (22), o ministro de saúde, Luiz Henrique Mandetta, que participou em Cuiabá do lançamento da 17ª Semana da Vacinação nas Américas, disse que não basta a instituição só pedir dinheiro ao governo federal, é necessário apresentar um plano de gestão para então ser analisado a possibilidade do envio do recurso.

O ministro explicou que já teve uma conversa com o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) e com o governador Mauro Mendes (DEM). Na oportunidade, ele pediu um plano de gestão/ação da Santa Casa com todas as informações a respeito da situação financeira e administrativa do local. “Estamos aguardando como isso vai ser para podemos ver aonde que a União vai ajudar”, informou o ministro.

Indignado com a situação do hospital, Mandetta, que é médico e integrou o corpo clinico da Santa Casa de Campo Grande (MS), diz que se incomoda profundamente ver um hospital fechado.

“Incomoda muito mais ainda quando é um hospital da tradição da história de Cuiabá. A sociedade cuiabana mato-grossense pode ficar tranquila, que nós vamos enfrentar [a crise] seja ela como for”, garantiu Madetta, que puxa a responsabilidade da situação da unidade hospitalar para os gestores.

Sobre os pedidos de ajuda que tem recebido, ele diz que não vai ser com a frase ‘me dá um dinheiro aqui porque estou aqui’ que o recurso chegará. O ministro pede primeiro uma demonstração de como será o impacto da ajuda no hospital.

“Cadê o plano? Quem são as pessoas? Onde vamos chegar com o investimento do dinheiro público? Não é por conta do apelo de uma instituição A, B ou C que a gente vai deixar de ter um profundo zelo pelo dinheiro público”, concluiu.

Além do Ministério de Saúde, os poderes de Mato Grosso também aguardam um posicionamento da gestão da Santa Casa para então repassar dinheiro à unidade. O Ministério Público Estadual (MPE) impediu o envio de R$ 3,5 milhões para pagar parte dos salários dos funcionários do hospital filantrópico. O recurso é da Assembleia Legislativa, mas para ele ser enviado ao hospital, seria necessário firmar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o MPE e a atual diretoria da unidade, o que não aconteceu.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE