Cuiabá, 12 de Julho de 2020

RADAR NEWS
Sexta-feira, 29 de Maio de 2020, 15h:41

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER

Comissão da Mulher da ABA-MT emite nota de repúdio contra violência doméstica

(Foto: Reprodução)

A Comissão da Mulher da Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso (ABA-MT) emitiu nota de repúdio contra o Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - Mato Grosso (OAB/MT), Dr. Leonardo Pio da Silva Campos, acusado de agredir a esposa, a também advogada Luciana Póvoas, na quarta-feira (27).

A ABA acompanhará o andamento do caso.

“A todos os posicionamentos de culpabilização de toda e qualquer vítima de violência doméstica e familiar, eis que, por incentivarem o julgamento precipitado dos fatos e opressão de gênero, resultam na subnotificação desses crimes, reforçando, dessa forma, a ideia de impunidade frente a esses casos”, diz a nota.

A OAB-MT também acompanha o caso e seguirá com os ritos legais previstos na legislação.

Entenda o caso:

Luciana Póvoas decidiu prestar queixa sobre violência doméstica, após uma discussão, onde ela foi empurrada contra o armário.

Leonardo foi preso em flagrante, mas liberado pela manhã, já que a prisão preventiva foi negada. Ele deve obedecer medidas restritivas.

Veja a nota na íntegra:

                                                                       Nota de repúdio

Diante dos fatos noticiados no dia 28 de maio de 2020 envolvendo o presidente da OAB/MT ( Ordem dos Advogados do Brasil- Mato Grosso) Dr. Leonardo Pio da Silva Campos e sua esposa, a advogada Dra. Luciana Póvoas Lemos, considerando que a violência doméstica e familiar contra a mulher constitui uma das formas de violação dos direitos humanos, a COMISSÃO DA MULHER da ABA/ CUIABÁ (Associação Brasileira de Advogados- MT), vem a público manifestar o seu veemente REPÚDIO a todo e qualquer ato de violência contra a mulher.

De igual forma, expressa o seu REPÚDIO a todos os posicionamentos de culpabilização de toda e qualquer mulher vítima de violência doméstica e familiar, eis que , por incentivarem o julgamento precipitado dos fatos e opressão de gênero, resultam na subnotificação desses crimes, reforçando, dessa forma, a ideia de impunidade frente a esses casos.

No que se refere ao caso específico, estaremos acompanhando o desdobramento dos fatos na certeza de que a justiça será feita.

                                                                     BÁRBARA LENZA LANA
                                           Presidente da Comissão da Mulher da ABA- Cuiabá/MT

                                                                   NILSE BERLATTO LEITE
                                         Vice-Presidente da Comissão da Mulher da ABA- Cuiabá/ MT


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE