Cuiabá, 30 de Março de 2020

POLÍTICA
Segunda-feira, 13 de Janeiro de 2020, 09h:58

ELEIÇÃO SUPLEMENTAR

Russi avalia que sua experiência o credencia a representar Mato Grosso no Senado

Euziany Teodoro
Única News

(Foto: divulgação)

O deputado estadual Max Russi (PSB) tem trabalhado sua candidatura às eleições suplementares para uma vaga no Senado, deixada por Selma Arruda (Podemos), que foi cassada por Caixa 2 e abuso de poder econômico nas eleições de 2018. Segundo ele, a experiência que tem na política o credencia para “defender Mato Grosso no Senado”.

“Eu, particularmente, teria orgulho de ser senador do meu Estado, estar em Brasília defendendo os interesses do estado. Fazer essa disputa pela experiencia política que eu tenho, de quem já foi vereador, prefeito por dois mandatos, secretário de Estado, estou no segundo mandato como deputado. Teoricamente teria uma bagagem que me daria condições de ser um bom senador, representar o meu estado e representar bem os interesses do meu estado, conhecendo Mato Grosso da forma que conheço”, afirmou ele, em entrevista à Rádio Capital, nesta segunda-feira (13).

Segundo ele, assim como vários outros partidos, que já lançaram pelo menos 15 nomes à disputa, o PSB também quer protagonizar a eleição suplementar, que deve ocorrer em abril.

“Temos discutido bastante internamente. Fomos convidados a algumas reuniões e estamos ouvindo muito a direção nacional. Tem esse interesse que Mato Grosso tenha candidato ao Senado e devemos definir nos próximos dias. É uma candidatura que, sem sombra de dúvidas, é muito importante para qualquer partido. Mais de 15 já colocaram seus nomes e estão analisando isso. Todos os partidos devem lançar nomes e o PSB não vai ser diferente”, afirmou.

Há ainda uma segunda vertente, seguindo orientação da executiva nacional do partido, com o objetivo de montar uma aliança “centro-esquerda”, em união ao PV, Rede e PDT.

“Não é uma eleição fácil, é preciso um grupo político, existem várias discussões acontecendo entre o PSB, PV, Rede e PDT, em âmbito nacional. Trabalhando uma outra vertente, que é sair um pouco desse “nós e eles”. Nem tanto a esquerda radical, nem tanto a direita radical. Construir uma centro-esquerda. Um projeto diferente para o país e a orientação da nacional é que se caminhe dessa forma nos estados”.

Seguindo essa linha, quando questionado sobre a possível aliança com o vice-governador Otaviano Pivetta, uma das principais lideranças do PDT em Mato Grosso, Max Russi conta que já tentou diálogo.

“A gente fez uma ‘pré-conversa’ com o presidente estadual do PDT, Allan Kardec (deputado licenciado e secretário de Cultura, Esporte e Lazer do Estado), e ele falou que vai caminhar para ter candidatura própria mesmo. Só em caso de exceção é que ele vai sentar pra conversar com o PSB, como é a orientação nacional”.

A eleição

O Tribunal Regional Eleitoral define, em sessão plenária no dia 22 de janeiro, quando devem ocorrer as eleições suplementares para ocupar a vaga de Selma Arruda. Ela ainda não foi afastada do Senado, pois os senadores ainda precisam deliberar sobre a notificação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que deve acontecer apenas em fevereiro.

A data mais provável para as eleições suplementares é 26 de abril, um domingo.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE