Cuiabá, 09 de Agosto de 2020

POLÍTICA MT
Segunda-feira, 25 de Novembro de 2019, 14h:55

CÂMARA DE VEREADORES

Renivaldo afirma que CPI não quer fazer investigação, apenas "atrapalhar a gestão de Cuiabá"

Euziany Teodoro
Única News

(Foto: Câmara de Vereadores/ Reprodução)

O vereador por Cuiabá, Renivaldo Nascimento (PSDB), criticou duramente a tentativa de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), acusado de receber propina durante o governo de Silval Barbosa.

A CPI deixou de ser instaurada após o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (PSB), comprovar que o trâmite do requerimento foi burlado pelos vereadores que propuseram a Comissão, deixando de passar pela aprovação do plenário.

Segundo Renivaldo, a convivência com alguns vereadores da oposição está “insuportável”. “É um ambiente ruim. Uma convivência ruim. Eu, particularmente, muitas vezes evito ir no grande expediente, onde tem aquelas discussões, para evitar esse tipo de embate individual”, contou, em entrevista à Rádio Capital nesta segunda-feira (25).

Ele afirma que a tentativa de criar uma CPI para investigar o prefeito só quer “atrapalhar a gestão pública de Cuiabá”. “Aquela CPI não foi criada para investigar nada. Foi criada para fazer um certo jogo. Para prejudicar pessoas. Não sou dono da verdade, mas a CPI foi criada para tumultuar, para escrachar uma pessoa só, que é o prefeito Emanuel Pinheiro”.

Para o vereador, cabe ao Governo do Estado, em processo administrativo, e à justiça comum, a verdadeira investigação.

“O prefeito tem o direito de defesa, não só no processo administrativo do Estado, como na Justiça, quando for chamado. Não concluíram nem o inquérito até hoje. Não tem nem ação na justiça. Como cidadão, como político, quero que esses fatos venham à tona e sejam apurados, mas não dessa forma”, concluiu.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE