Cuiabá, 28 de Outubro de 2020

POLÍTICA MT
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2020, 09h:34

TABULEIRO DEFINIDO

Onze concorrerão por vaga ao Senado em eleição suplementar; Veja quem são

Euziany Teodoro
Única News

Reprodução

Onze chapas foram homologadas para concorrer à vaga ao Senado, aberta após a cassação de Selma Arruda (Podemos), condenada por abuso de poder econômico e caixa dois nas eleições de 2018. Os últimos dias foram marcados por convenções partidárias, articulações e coligações, algumas fechadas no último minuto.

Por fim, onze candidatos despontaram, trazendo consigo suplentes que foram fundamentais para garantir mais tempo de propaganda eleitoral nas emissoras de rádio e TV, além, é claro, mais votos.

As eleições suplementares ao Senado, inicialmente marcadas para 26 de abril, foram adiadas devido à pandemia da Covid-19. O Tribunal Superior Eleitoral marcou o pleito para 15 de novembro, junto com as eleições municipais.

Com o tabuleiro definido, confira quem são os candidatos:

Carlos Fávaro (PSD) – Fávaro ocupa a cadeira no Senado, interinamente, desde 17 de abril. Terceiro colocado na disputa em 2018, ganhou o direito de ser conduzido ao cargo, após cassação de Selma Arruda, para garantir a representatividade de Mato Grosso no Congresso Nacional.

(Foto: reprodução)

Carlos Fávaro

 

Fávaro vem com força total nessa eleição suplementar. Com o apoio do governador Mauro Mendes (DEM), além do ex-governador, ex-senador e ex-ministro Blairo Maggi (PP), emplacou a empresária Margareth Buzetti (PP) na 1ª suplência e José Lacerda (MDB), advogado e ex-secretário estadual, na 2ª suplência.

Com projetos e trabalho já em andamento no Senado para mostrar, deve ter votação expressiva em 15 de novembro, além de somar apoio e votos de quatro partidos que declararam coligação: PP, MDB, PTB e PV.

Nilson Leitão (PSDB) – Leitão é ex-deputado federal e deu show de articulação ao conseguir unir os dois senadores “legítimos”, Jayme Campos (DEM) e Wellington Fagundes (PL) em torno de sua candidatura. Os dois senadores indicaram os suplentes, nada menos que Júlio Campos (DEM), irmão de Jayme na 1ª, e o ex-vereador de Sinop, José Márcio (PL), na 2ª.

Assessoria

Nilson Leitão, Júlio Campos e Zé Márcio Senado

 

Com a união desses políticos de peso, conseguiu garantir a representatividade das três principais regiões de Mato Grosso: Nortão, com Sinop sendo sua base eleitoral; Baixada Cuiabana, com Júlio Campos; e Região Sul, com o 2º suplente sendo de Rondonópolis.

A decisão dos irmãos Campos em compor com o PSDB gerou divergências e um verdadeiro “racha” entre os Democratas. Júlio “bateu o pé” e não abriu mão de seu compromisso com Leitão. Assim, ao grupo encabeçado pelo governador Mauro Mendes, restou baixar a cabeça e seguir dividido, apoiando Carlos Fávaro (PSD).

José Medeiros (Podemos) – Medeiros representa a ideologia de Direita nestas eleições ao Senado. Defensor intransigente do presidente da República, Jair Bolsonaro, acabou não tendo o mesmo retorno, já que o “Capitão” decidiu apoiar outra candidata ao Senado em Mato Grosso, a Coronel Fernanda (Patriota).

Assessoria

José Medeiros convenções Senado

 

Senador de 2015 a 2018, quando coordenou a bancada de Mato Grosso no Congresso, Medeiros é, atualmente, vice-líder de Bolsonaro na Câmara Federal. Em 2018, foi eleito deputado federal com a segunda maior votação do Estado, e por cinco anos consecutivos é apontado como o parlamentar de Mato Grosso mais influente nas redes sociais, ultrapassando a marca de mais de 500 mil seguidores (Facebook, Twitter e Instagram).

Em sua chapa, traz o vice-prefeito de Cuiabá e presidente estadual do Podemos, Niuan Ribeiro, como 1º suplente. O segundo suplente ainda não foi anunciado.

Coronel Rúbia Fernanda (Patriota) – Coronel Fernanda afirma ter sido convidada, pessoalmente, pelo presidente Jair Bolsonaro para concorrer ao Senado em Mato Grosso. De extrema direita, ela contou com transmissão ao vivo do presidente na convenção que a homologou na disputa pelo cargo.

Assessoria

Coronel Fernanda

 

A militar foi a primeira a homologar sua candidatura, já no primeiro dia do prazo para as convenções, em 1º de setembro. Em sua chapa, o primeiro e segundo suplentes são o ex-deputado federal Victório Galli e Luciano Esteves, ambos do Patriota.

(Foto: Reprodução)

Valdir Barranco

 

Valdir Barranco (PT) – O deputado estadual Valdir Barranco formou chapa de peso entre os petistas mato-grossenses. Com a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia Cavalli Neder, e a também professora Enelinda Scalla, já conhecida na política do Estado, deve ter votação expressiva entre aqueles que formam a oposição ao atual governo federal em Mato Grosso.

Na convenção, contou com a participação virtual de importantes membros nacionais do PT, como a “presidenta” nacional do partido, Gleisi Hoffman, e o ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

ALMT

Elizeu Nascimento

 

Elizeu Nascimento (PSL) - O deputado estadual Elizeu Nascimento, sargento da Polícia Militar, também é uma opção de Direita e quer "colar" na imagem do presidente Jair Bolsonaro em sua campanha. Filiado ao partido que elegeu o presidente, apesar de hoje já não estar comprometido com nenhuma sigla, Elizeu deve partir para o embate. Esta semana, já declarou que os outros candidatos estão "jorrando dinheiro" em suas campanhas.

Seus suplentes são Nayme Moraes (PSL), pai do deputado estadual Ulysses Moraes, que chegou a ser cotado para a eleição à Prefeitura de Cuiabá, e Paulo Selva (PSL).

Na última hora, conseguiu o apoio e coligação com o partido Democracia Cristã (DC) para aumentar os votos e chances de vitória em 15 de novembro.

(Foto: Reprodução)

picasion.com_4de062f890c85942646fd820f930bf9c-800x445.jpg

 

Pedro Taques (SD) – O ex-governador Pedro Taques “comprou o bilhete” para a disputa no último minuto. Recém filiado ao Solidariedade, depois de ser “abandonado” pelo PSDB ainda em março, quando gostaria de ter sido lembrado para disputar a vaga ao Senado, homologou candidatura no último dia do prazo, essa quarta-feira (16).

Taques afirma que “não tem tempo para ter medo”. Conforme as pesquisas, aparece entre os melhores colocados. Ele tem eleitorado cativo na Baixada Cuiabana, tendo alcançado 271 mil votos em 2018, quando deixou o Governo do Estado.

Na última hora, fechou coligação com o Cidadania e deve ter um de seus ex-secretários de Estado, Suelme Fernandes, como suplente. Os nomes oficiais dos suplentes ainda não foram anunciados.

Euclides Ribeiro (Avante) – O advogado é novato na política e vem como opção a quem flerta com a ideologia de Esquerda no Estado. Ao seu lado, angariou importantes alianças, como Gisela Simona (Pros), candidata à prefeitura de Cuiabá, e Max Russi, deputado estadual e presidente do PSB.

Assessoria

Max Russi, Euclides Ribeiro e Josair Jeremias Lopes

 

Formado em direito pela Universidade Federal de Mato Grosso, ele é especialista em direito tributário e recuperação judicial e vice-presidente fundador do Instituto Mato-Grossense de Direito Processual.

Se eleito, quer focar na recuperação econômica do Estado no período pós-pandemia, especialmente elaborando e votando projetos para a geração de empregos.

Os suplentes de Euclides ainda não foram anunciados.

Procurador Mauro (PSOL) – Já uma figura caricata na política mato-grossense, o Procurador Mauro segue para sua oitava disputa eleitoral. Mantendo a ideologia histórica da sigla, homologou chapa pura à eleição suplementar.

Foto: (Reprodução/Web)

Procurador Mauro

 

Como primeira suplente, ele terá Gonçalina Pereira de Souza, conhecida como Gonça de Melo, e Vanderley da Guia, como segundo suplente.

Depois de tentar a cadeira no Alencastro, em 2018, quando conseguiu 226.053 votos, sendo derrotado em 6º lugar, Procurador Mauro, mais uma vez, tentará um mandato eletivo.

Reinaldo Morais (PSC) – Morais é aquele que conseguiu o apoio de Selma Arruda, justamente aquela que foi cassada e abriu a vaga no Senado. Também uma opção da ideologia de Direita, o empresário esteve com o vice-presidente Hamilton Mourão, que validou sua candidatura na semana passada.

Assessoria

Reinaldo Morais convenção selma

 

Durante a convenção, realizada na quarta-feira (16), Selma Arruda disse que considera seu curto tempo no Senado “um presente” e não o daria a qualquer um. Por isso, decidiu apoiar Reinaldo Morais, segundo ela.

O primeiro suplente é Gilberto Cattani (PRTB), representante da agricultura familiar e referência no bloco bolsonarista de Mato Grosso. O segundo suplente, Neles Farias (PSC), é empresário e foi por duas vezes presidente da Comercial de Rondonópolis.

Assessoria

Feliciano Azuaga Novo

 

Feliciano Azuaga (Novo) - O novato no cenário político, Feliciano Azuaga, foi homologado como o candidato do Partido Novo, em 2 de setembro. Nascido em Campo Grande (MS), mora em Mato Grosso há 14 anos e é doutor e mestre em economia.

Feliciano é professor na Universidade de Mato Grosso (Unemat). Em chapa pura, terá como primeiro suplente Sérgio Antunes e, como segunda suplente, Vanessa Tomizawa.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE