Cuiabá, 15 de Agosto de 2020

POLÍTICA MT
Quarta-feira, 15 de Julho de 2020, 15h:49

ENTREVISTA A CNN

Mendes discorda do título de epicentro e diz que coronavírus "não tem fronteiras"

Elloise Guedes
Única News

(Foto: Mayke Toscano/Secom)

O governador Mauro Mendes (MDB) disse que o título de epicentro do novo coronavírus no Brasil, atribuído a Mato Grosso, não é verdade. Segundo ele, o vírus migra em todo país e não tem fronteira e nem barreira para impedir. Mendes concedeu entrevista à CNN, na tarde desta quarta-feira (15).

"Esse título de epicentro não é muito verdade, pois esse epicentro, ele migra a cada dia, a cada semana no Brasil. Essa migração começou em São Paulo e se espalhou por todo o Brasil, lamentavelmente chegou aqui no no Centro Oeste. Goiás está muito forte de contaminação e Mato Grosso do Sul também", disse o governador.

Mendes foi questionado sobre o lockdown nos municípios do Estado, pois a cada dia que passa, vem aumentando mais os casos de doentes confirmados e algumas cidades não estão tomando medidas em relação ao enfrentamento. Para ele, a medida de distanciamento social é um medicamento "amargo", mas é o necessário.

"Em Mato Grosso, a população de uma maneira geral, vinha tendo uma atividade econômica normal, alguns prefeitos decretar am o lockdown, outros não, alguns só adotaram medidas menos drásticas. Como sempre falo: cada município é uma questão, pois não são todos que estão com risco muito alto de contaminação. E cada prefeito sabe a necessidade de seu município. O distanciamento social é um medicamento amargo, mas é necessário", ressaltou o governador.

Em relação aos leitos exclusivos para tratamento da covid-19, o gestor afirmou que o Estado já abriu mais de 500 leitos, entre UTI e enfermaria, desde o começo da pandemia em várias cidades.

"Nós abrimos muitos leitos, só pelo governo foram 500 leitos abertos. O medicamento para tratamento precoce da Covid-19 também foi liberado como prevenção e para a baixa procura nas unidades de saúde. O que nós precisamos é juntar energia e abrir mais leitos junto com outras prefeituras," disse Mendes.

Sobre a economia no Estado, Mauro Mendes disse ser uma questão delicada, pois envolve muito a vida das pessoas, principalmente daqueles que são a única fonte de sustento da casa.

"Fechar a economia não é um problema só econômico. Quando se fecha drasticamente a economia, você causa danos muitos terríveis na vida das pessoas. O desemprego é muito dolorido, tem muita gente que morre de fome, tem muita gente que tem suas vidas arruinadas, por que perdem o emprego. As micro-empresas não conseguem sobreviver e morrem com elas os empregos que elas geram. Esses tipos de mortes também são muito doloridas, pois as pessoas precisam sobreviver e levar o sustento para sua família", destacou.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE