Cuiabá, 20 de Outubro de 2020

POLÍTICA MT
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2020, 12h:57

ENTREVISTA

Envolvida em duas grandes campanhas, Márcia Pinheiro fala sobre vocação e críticas

Euziany Teodoro
Única News

(Foto: Facebook)

A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, tem desafio em dobro nas eleições municipais deste ano. Com o marido Emanuel Pinheiro (MDB) disputando a reeleição em Cuiabá e o filho Emanuelzinho (PTB) concorrendo pela gestão de Várzea Grande, Márcia afirma que quase não tem dormido.

“Vou confessar que estou quase sem dormir, pra falar a verdade. Porque são duas campanhas grandes e todos sabem da nossa dedicação em tudo que fazemos. Trabalhamos muito nessa pandemia e eu realmente achava que não haveria eleição esse ano. Eu nem sei o que é isolamento social, porque desde o primeiro dia, nunca paramos”.

Márcia foi resistente à candidatura de Emanuel Pinheiro para a reeleição. Queria que o marido desse um tempo da política, após mais de 20 anos em cargos eletivos. No entanto, admitiu em entrevista nesta quarta-feira (16), que não pode ir contra a vocação da família.

“Eu não posso tirar o ar que o Emanuel respira. É a vida dele, é a vocação dele, ele nasceu pra isso, como também o Emanuelzinho. Nunca imaginei. Emanuelzinho foi construindo a estrada dele, como foi pra deputado federal também. Muita gente falava que a gente estava empurrando e vocês viram que não. Jamais faria isso. Dentro da minha casa meus pais sempre quiseram que a gente fosse feliz, fazendo o que quisesse, nunca impondo nada. Da mesma forma é lá em casa”, afirmou.

Pinheiro tem sido alvo de ataques pessoais de outros candidatos, como o vereador Abílio Junior (Podemos), e também do governador Mauro Mendes (DEM), que tentou emplacar uma chapa que possa vencê-lo nas municipais, mas acabou apoiando Roberto França (Patriota) por falta de nomes fortes entre os Democratas.

Com a expectativa de uma campanha ofensiva, que deve baixar o nível do debate em Cuiabá, Márcia Pinheiro avalia que aqueles que um dia se diziam amigos e hoje criticam em nível pessoal, como é o caso de Mauro Mendes, devem primeiro ter moral para criticar.

“Eu acredito que quem fala mal da pessoa que um dia esteve ao lado, nunca foi amigo. Você tem divergências políticas, tem momentos que estão no mesmo palanque e outros que não. Mas a crítica pessoal é outra questão. Você pode criticar uma pessoa - e Emanuel sempre foi uma pessoa que foi oposição também, foi crítico, mas nunca da pessoa e sim da administração. Então, as pessoas que fazem críticas da pessoa em si, é porque nunca foi amiga”, disse.

Para ela, críticas construtivas, que possam ajudar na administração, são bem vindas. “Acho que críticas construtivas são muito importantes. Às vezes você acha que está acertando aqui, mas está errando, então é até uma forma de você melhorar o que está fazendo. Mas aquela crítica que não contribui com nada, uma pessoa acorda segunda-feira, 8h da manhã, pra bater nos outros, me desculpa, mas eu acho que essa pessoa não contribui em nada e nem tem o direito de criticar ninguém”, declarou.

Primeira-dama combativa e sempre envolvida na vida política de Pinheiro, Márcia deve ter palavra de ordem dentro das campanhas do filho e do marido. "Queremos fazer tudo muito bem feito", concluiu. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE