Cuiabá, 05 de Dezembro de 2020

POLÍTICA MT
Terça-feira, 20 de Outubro de 2020, 20h:28

ACOMPANHE

Candidatos respondem a questionário do comércio e apresentam propostas

Euziany Teodoro
Única News

Montagem: Única News

Em encontro realizado pela Federação do Comércio de Mato Grosso (Fecomércio), na noite desta terça-feira (20), os quatro principais candidatos à Prefeitura de Cuiabá: Emanuel Pinheiro (MDB), Gisela Simona (Pros), Abilio Jr (Podemos) e Roberto França (Patriota), respondem aos questionamentos da indústria e comércio e apresentam suas propostas para os próximos quatro anos.

Definido em sorteio, Emanuel Pinheiro foi o primeiro a responder os questionamentos, seguido de Gisela Simona, Abilio Jr e, por último, Roberto França.

Foram discutidos os seguintes temas: Lei de Liberdade Econômica; Leis Municipais que impactam o comércio; Participação do Comércio nas ações da prefeitura; Alvará para obras via internet e tempo de liberação; IPTU; Regularização fundiária; Regulação de ambulantes e moradores de rua; Centro Histórico de Cuiabá; Mobilidade urbana; Turismo; Rio Cuiabá; Máquina pública e número de comissionados; e a Origem dos recursos.

Os mesmos temas foram discutidos com todos os quatro candidatos, que puderam apresentar suas propostas. Não houve interação entre os candidatos, que tiveram meia hora para responder aos questionamentos e, em seguida, deixaram o encontro.

O prefeito Emanuel Pinheiro mostrou tranquilidade e preparo ao mostrar o que já foi feito em seu primeiro mandato e o que pretende implementar caso eleito para os próximos quatro anos.

Depois de opinar e falar sobre os assuntos abordados, encerrou apresentando os novos programas que pretende iniciar: “Qualifica Comércio” e “Qualifica Juventude”, cada um com 3 mil vagas, para capacitar a mão de obra, que precisa estar apta ao mercado de trabalho. Criação da “Casa do Empreendedor Cuiabano”, com incubadoras de empresas e Startups, prevendo qualificação e parceria com o Sistema S; Isenção de alvará em 2021 às empresas que foram prejudicadas pelos decretos durante a pandemia da Covid19; e o programa “Bem Morar”, que prevê parceria com instituições financeiras, a fim de garantir pequenas reformas residenciais a quem não tem condições de fazê-las.

Para encerrar, pediu votos. “Àqueles que ainda não se decidiram, que estão ainda pensando, peço seu voto e de seus familiares”.

A advogada Gisela Simona, após responder aos questionamentos, apresentou suas principais propostas, especialmente para a área da saúde, e também pediu votos.

“Queremos mudar os rumos de como a saúde está sendo organizada, está sendo comandada na nossa cidade. Queremos investir na atenção primária da Saúde, isso significa trabalhar com prevenção. Hoje Cuiabá tem uma cobertura de apenas 44.5% e podemos aumentar isso para 80%. Também temos solução para as filas de cirurgia: queremos tornar a fila da Saúde transparente, públicas, fazer gestão com eficiência, dando publicidade dessa fila, porque hoje há tráfico de influência na saúde de Cuiabá”.

“Queremos fazer, na educação, uma infraestrutura adequada para que o nosso aluno tenha uma escola atrativa e, de fato, consigamos vencer essa barreira de melhorar o índice de aprendizado dos nossos alunos”.

“Hoje temos um déficit de 11 mil vagas de creche no município de Cuiabá e nós faremos o preenchimento, sim, dessas vagas. A construção de novas vagas para as nossas crianças. Temos o projeto, também, da Creche 24 horas, aquela creche que vai receber a criança de acordo com o horário de trabalho da mãe. Nós vamos fazer um concurso público para que tenha o turno noturno. O servidor que está hoje concursado, fez uma opção para o horário diurno, por isso ele não quer o noturno. Então, faremos um novo concurso para ter o profissional adequado na Creche 24 horas”.

“Precisamos, também, de uma política de valorização das mulheres. Vamos construir o Hospital da Mulher, no antigo pronto-socorro de Cuiabá. Faremos um hospital que cuida da mulher, que cuide do materno-infantil, que cuide da mulher vítima de violência doméstica. São essas nossas propostas que temos para Cuiabá e quero que você conheça, no @giselasimonaoficial, as demais propostas que nós temos e no dia 15 de novembro, possa nos dar esse voto de confiança”, pediu.

O vereador Abilio Jr fez várias críticas contra a atual gestão e o cenário político em Cuiabá, de modo geral. Convocou os eleitores a falarem com ele via WhatsApp e a visitarem seu site para conhecer as propostas e um “raio-x econômico” da Capital. Por fim, deixou um “recado”, de que junto a seu vice, Felipe Wellaton (Cidadania), “vai tomar a cidade de volta” dos poderosos.

“Você vai perceber que o próximo prefeito terá uma bomba para administrar. Se o prefeito não tiver vontade de cortar na carne e coragem de cortar na carne, se ele não tiver coragem de enfrentar os donos da nossa cidade - porque a cidade de Cuiabá tem dono - e o dono não é a população cuiabana. O recurso de Cuiabá são R$ 3,2 bilhões por ano. Se dividir o custo do recurso de Cuiabá pelo número de habitantes, dá R$ 5 mil por pessoa por ano. Lucas do Rio Verde tem um orçamento de R$ 400 milhões, o custo por habitante é de R$ 2 mil. Se Lucas do Rio Verde, que tem R$ 2 mil por habitante, tem uma cidade com os melhores índices do IDEB, os melhores índices de qualidade de vida, porque que nós que temos R$ 5 mil por habitante, quase três vezes mais que Lucas, não conseguimos destravar a economia, desburocratizar a vida pública e privada e não conseguimos conhecer uma cidade com qualidade de vida para as pessoas?”, questiona.

“Porque no município de Cuiabá há tanto desequilíbrio: um centro com tudo e uma periferia com nada? Porque não podemos viver numa cidade melhor para as pessoas, onde a saúde pública não falte médico, não falte remédio. Isso é básico, não é pedir demais! É como outros candidatos dizem: ‘se não roubar, faz mais’”.

“Se não roubar, faz mais. Tem que ter coragem para enfrentar esses ‘caras’, tem que ter força, coragem, energia para enfrentar esses caras. Eu fui cassado e estou de volta e nós vamos arrancar vocês. E não vai ser um prefeito só para fazer isso, não. Vai ser dois prefeitos para arrancar essa turma e, se tentar cassar o primeiro, tem um segundo com mais sangue no olho do que eu. Não vai ser moleza, não. Nós vamos enfrentar o sistema e essa máquina e vamos tomar de volta a nossa cidade”, disparou.

O radialista Roberto França, que já foi prefeito de Cuiabá entre os anos de 1997 e 2005, convocou os comerciantes representados no encontro a fazerem parte de sua possível gestão, caso eleito.

“Quero dizer da nossa satisfação em, mais uma vez, conclamar que essa entidade nos ajude a administrar Cuiabá, todos aqueles que aqui nasceram, que amam essa terra, que têm compromisso de querer Cuiabá cada vez melhor. Deixo aqui meu convite, meu apelo e meu pedido para que sejam parceiros da administração. Os espaços estarão abertos no Conselho que vamos criar, mas também na nossa gestão. Justamente para demonstrar o meu respeito e a valorização que eu dou à Fecomércio, por tudo aquilo que representa para a sociedade, gerando emprego, renda, oportunidades, impostos e lógico, evidente, que uma empresa como essa tem que ter o respaldo e o respeito do prefeito da cidade”, disse.

Ele ainda falou sobre outros projetos, fora da área do comércio, que pretende implementar, caso eleito. São programas para educação, saúde e assistência social.

“Na educação, por exemplo, vamos criar o ‘Cuiabá Digital’, com o objetivo de inclusão e acesso à internet nas escolas, distribuindo tablets e computadores para os alunos da Rede Municipal. Concurso público; plano de cargos carreiras e salários; período integral em 50% das escolas; e ampliar o programa de Hora Estendida nas creches; garantir a nova lei orgânica da educação”.

“Na área de saúde, que é uma área realmente muita claudicante em Cuiabá, a saúde básica praticamente está acabada, chegou ao cúmulo de fechar a Santa Casa, que precisou da ação do Governo do Estado para reabrir, um completo abandono por parte do governo. Hoje faltam remédios, faltam gases, materiais básicos, condições de trabalho para os médicos e enfermeiros nas unidades de saúde. Conosco não vai faltar nada disso”, prometeu.

“No Social, que foi o ponto alto do nosso governo – ninguém fez tanto pelo social quanto nós – queremos trazer de volta o programa ‘Bom de Bola, Bom de Escola’, tirando as crianças das ruas; o projeto ‘Siminina’; Casa de Amparo às mulheres vítimas de violência, que criamos 20 anos atrás, antes da Lei Maria da Penha; a Casa de Retaguarda para adolescentes; Centro de Tratamento para dependentes químicos, que vamos continuar com ele na Estrada da Guia, que foi desativado pela atual administração; Centro de Convivência de Idosos, vamos trazer de volta; fazer voltar o reaproveitamento alimentar; Padaria Comunitária; Leite para Todos. Todos esses projetos sociais que criamos com tanto amor e carinho e foram abandonados pela atual administração”, criticou.

Veja a transmissão do encontro, que foi ao vivo:


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE