Cuiabá, 16 de Julho de 2020

POLÍCIA
Sexta-feira, 29 de Maio de 2020, 17h:36

USANDO NOME FALSO

Procurado pela Interpol por assassinato de jornalista no Paraguai é preso em Mato Grosso

Única News
Da Redação

(Foto: Divulgação)

Ação investigativa integrada da Polícia Civil de Campo Verde (a 131 km de Cuiabá) e Polícia Militar, prendeu nesta sexta-feira (29) um homem procurado pela Justiça de Mato Grosso do Sul e pela Interpol do Paraguai.

Wilson Acosta Marques, de 48 anos, foi localizado em uma casa simples, já na zona rural do município de Chapada dos Guimarães, onde mantinha uma borracharia e vivia com a família há dois anos.

Após checagem nos sistemas, os policiais apuraram que o homem tem dupla nacionalidade (paraguaia e brasileira), e que haviam dois mandados de prisão expedidos pela comarca de justiça do município de Sete Quedas (MS).

Em consulta à Interpol, a Polícia Civil também constatou que o suspeito tem mandados de prisão expedidos pela Justiça paraguaia e que ele consta na lista vermelha dos mais procurados pela Interpol do país vizinho.

Durante a abordagem, o homem apresentou documento em nome de outra pessoa, como tendo nascido em 1978 e natural de Caarapó, também em Mato Grosso do Sul. Contudo, após entrevista na delegacia, ele confessou que o documento é falso, pelo qual pagou R$ 600 e pertenceria a um parente já falecido, informação que será apurada.

O delegado de Polícia de Campo Verde, Mário Roberto Santiago Junior, entrou em contato com a Interpol em Assuncion e obteve a informação de que o homem preso responde a diversos crimes no Paraguai. Ele tem, inclusive, envolvimento nas mortes do jornalista paraguaio Pablo Medina Velázquez e de sua assistente, Antónia Marines Almada Chamorro, ocorridas em outubro de 2014, na fronteira dos os dois países. Três pessoas foram investigadas pelas mortes, sendo um deles o irmão do homem preso em Campo Verde, que seria o mandante dos homicídios, e um sobrinho deles.

Após os procedimentos policiais em Campo Verde, o homem será encaminhado para uma unidade prisional e colocado à disposição do Poder Judiciário.

Mortes

Conforme denúncia do Ministério Público Federal contra um dos acusados pelos crimes, a morte do jornalista foi motivada por uma vingança das três pessoas envolvidas em represália às publicações do jornalista contra a família Acosta no ABC Color, jornal de maior circulação no Paraguai.

Medina publicou diversas matérias sobre Vilmar, então candidato a prefeito e depois prefeito da cidade paraguaia de Ypejhú, a quem atribuía vínculo com o narcotráfico na fronteira entre o Paraguai e o Brasil e envolvimento em crimes de homicídio nas regiões paraguaias de Villa Ygatimi e Ypejhú. Por conta das matérias, o jornalista recebia ameaças de morte por parte do político.

O crime ocorreu na tarde de 16 de outubro de 2014, em uma emboscada na estrada rural que liga a cidade de Villa Ygatimi à Colônia Ko’e Porá, localizadas no Departamento de Canindeyú. Usando vestimentas militares, tio e sobrinho simularam uma blitz e quando o carro do jornalista parou, foi atingido por vários tiros. A assistente estava no banco do carona e também foi atingida.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE