Cuiabá, 15 de Agosto de 2020

POLÍCIA
Quarta-feira, 15 de Julho de 2020, 09h:39

MP PEDE FIANÇA DE R$ 100 MIL

Pai de menor que matou amiga pode ser indiciado por homicídio culposo

Elloise Guedes
Única News

(Foto: Reprodução)

O Ministério Público do Estado pediu o indiciamento do empresário Marcelo Martins Cestari, de 46 anos, por homicídio culposo, na morte de Isabele Guimarães Rosa, de 14 anos. No último domingo (12), a adolescente foi morta com um tiro acidental disparado pela filha do empresário, também de 14 anos.

Para o MP, Cestari assumiu o risco de matar ao guardar as armas em casa e deixa-las ao alcance da filha, que inclusive também treinava tiros e participava de competições esportivas.

O MP pediu também a majoração da fiança paga por Marcelo, que foi preso por porte ilegal de arma de fogo. O empresário pagou apenas um salário mínimo para ser solto, pouco mais de mil reais. A família de Isabele entrou com pedido para majoração deste valor para R$ 1 milhão. No entanto, o MP pede que seja fixada em 100 salários mínimos, aproximadamente R$ 100 mil.

"Foi deveras complacente a autoridade policial ao não indiciar o implicado Marcelo Martins Cestari no crime de homicídio culposo, uma vez que, como proprietário/responsável pelo armamento, ou entregou, ou permitiu, ou não foi diligente o suficiente para impedir que sua filha de apenas 14 anos a manuseasse, dentro de sua casa e na presença de outra adolescente, agindo, no mínimo, a uma primeira vista, culposamente para com o evento morte ocorrido", ressalta trecho do pedido que ocorre em segredo de justiça.

Marcelo foi preso em flagrante pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ainda na noite de domingo, por porte ilegal de armas. O empresário é atirador esportivo.

Na casa da família, a polícia encontrou sete armas. Duas delas não tinham registro e, por isso, ele foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Cestari foi conduzido à DHPP e autuado pelo crime, que cabe fiança. Ele pagou um salário mínimo de fiança, e liberado em seguida.

Pai e filha prestaram depoimento pela primeira vez, na tarde dessa terça-feira (14). Os depoimentos duraram cerca de 7 horas. Segundo o delegado responsável pelo caso, Olímpio da Cunha Fernandes Júnior, ainda não tem todas as respostas e outras testemunhas serão ouvidas.

O delegado aguarda os laudos periciais que darão embasamento às investigações.

Entenda o caso:

Isabele já foi encontrada sem vida no banheiro da casa da amiga, por volta das 22h30. Ela foi atingida com um tiro acidental na cabeça durante uma brincadeira.

Na casa da acusada, foram encontradas outras sete armas que pertenceriam ao pai dela, que é atirador esportivo. A arma usada no acidente foi uma pistola PT 380.

Logo após o disparo, uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e constatou a morte da vítima. A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também esteve no local.

De acordo com a perícia técnica, a cena do crime sofreu alterações.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE