Cuiabá, 21 de Fevereiro de 2020

POLÍCIA
Quinta-feira, 13 de Fevereiro de 2020, 16h:47

CONTINUA PRESO

Jornalista acusado de importunação sexual recebe habeas corpus em um de três processos

Elloise Guedes
Única News

(Foto: Victor Ostetti/ MidiaNews)

O jornalista Leonardo Heitor Miranda, de 38 anos, acusado de importunação sexual usando perfis falsos em redes sociais, teve a prisão revogada pela juíza Suzana Guimarães, da 6ª Vara Criminal de Cuiabá, nessa quarta-feira (12).

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), a juíza revogou a prisão preventiva em apenas um dos três processos a que ele responde. A ação foi desclassificada de tentativa de estupro para tentativa de importunação sexual.

Por força de outros dois mandados de prisão, Leonardo ainda não será liberado do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), o antigo Carumbé, na Capital, onde está preso há mais de três meses.

Conforme a defesa do jornalista, atualmente Leonardo não responde a nenhum processo criminal por estupro ou tentativa de estupro, respondendo apenas pelos crimes de importunação sexual. “A defesa demonstrou inúmeras contradições no depoimento da vítima e das testemunhas ouvidas”.

No dia cinco deste mês, a Justiça havia negado um Habeas Corpus protocolado logo após a sua prisão, julgado com base nas informações da audiência de custódia, mas a defesa segue recorrendo.

O jornalista era assessor parlamentar na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e foi preso no dia 25 de novembro, no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, quando chegava de uma viagem a Salvador.

Foram registrados dez boletins de ocorrência de mulheres que relataram ter sido vítimas de algum dos crimes contra a dignidade sexual cometidos por Leonardo.

Denúncias

Conforme as denúncias das vítimas, Leonardo Heitor agia usando chips de celulares com DDD de outros estados, se passando por um empresário bem-sucedido e musculoso de Portugal.

Pelo WhatsApp, usando a foto de perfil do empresário a quem ele conhecia, Leonardo mandava fotos pornográficas e mensagens de importunação sexual.

Em conversa com o Única News, o ex-assessor parlamentar confessou que mantinha conversa com algumas colegas. "Eu realmente conversei com algumas colegas, através do meu número mesmo. Se elas entenderam como assédio, peço perdão, do fundo do meu coração.”


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE