Cuiabá, 14 de Agosto de 2020

POLÍCIA
Sexta-feira, 31 de Julho de 2020, 18h:27

CASO ISABELE

Empresário disse ao Samu que Isabele "caiu e bateu a cabeça" após o tiro

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Reprodução)

Em ligação de socorro para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no dia 12 de julho, o empresário Marcelo Martins Cestari, pai da adolescente B.O.C., que atirou na cabeça de Isabele Guimarães Ramos, informou à atendente que a “menina caiu e bateu a cabeça”.

De acordo com informações do Samu, a ligação de Marcelo foi registrada às 22h03 do dia 12 de julho.

No áudio, obtido pelo site HiperNotícias e divulgado nesta sexta-feira (31), o empresário ainda tenta falar com a adolescente e afirma à atendente do Samu que ela está sem respiração.

“Oi, rápido! A menina caiu no banheiro aqui no Alphaville. Está saindo muito sangue, (ela) está perdendo muito sangue”. [...] ela caiu e bateu a cabeça, tem uns dois litros de sangue no chão. Rápido, rápido aqui no Alphaville I. Ela está perdendo muito sangue”, disse o empresário.

"Ela caiu e bateu a cabeça, tem uns dois litros de sangue no chão", disse Cestari, ao socorro

Em seu depoimento, dois dias depois do ocorrido, o empresário citou que a morte de Isabele foi constatada por um médico, seu vizinho no condomínio de luxo, no bairro Jardim Itália.

“Bel! Eu acho que ela (inaudível) sem respiração, moça. Rápido, moça. Por favor. Ela está perdendo muito sangue, muito sangue. Ela está desacordada. Não estou sentindo a respiração dela”, disse Marcelo.

Isabele, de 14 anos, foi morta com um tiro, supostamente acidental, que transfixiou a cabeça pelo nariz, saindo na nuca. O caso aconteceu no condomínio Alphaville I, em Cuiabá.

Ouça o áudio:


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE