Cuiabá, 28 de Outubro de 2020

POLÍCIA
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2020, 19h:18

RESPALDO DA JUSTIÇA

Advogado acusado de agressões é proibido de se aproximar de uma das vítimas

Euziany Teodoro
Única News

Reprodução

A empresária Mariana Vidotto, responsável por trazer à tona as vários denúncias de agressões físicas, psicológicas e sexuais que pesam contra o advogado Cleverson Contó, conseguiu medida protetiva contra ele, concedido em caráter urgente e imediato pelo juiz da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Jamilson Haddad Campos.

Na decisão, o juiz entendeu que Mariana está, de fato, sob perigo de dano ou risco, e determinou que o advogado não se aproxime à distância mínima de 500 metros.

"Verifico que os fatos narrados pela vítima, em suas declarações, demonstram a situação de risco em que a mesma se encontra, impondo a imediata intervenção estatal como meio de salvaguardá-la, inclusive de novas investidas do suposto agressor, justificando pois a urgência na concessão de medida protetiva", decidiu o juiz.

Para conceder a medida protetiva, ressaltou que Cleverson Contó, de acordo com o boletim de ocorrência, está enquadrado nos crimes apenados pelo Código Penal de: ameaça, injúria real, estupro, denunciação caluniosa e difamação.

Configurada a necessidade da medida cautelar de urgência, Jamil Haddad Campos determinou:

1 - A proibição ao agressor de aproximar-se da ofendida, de seus familiares e das testemunhas, fixando limite mínimo de 500 metros de distância;
2 - Proibição ao agressor de manter contato com a ofendida, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação;
3 - Proibição ao agressor de frequentar a residência da ofendida e de seus familiares, bem como seu eventual local de trabalho, a fim de preservar a sua integridade física e psicológica.

Em sua defesa, Cleverson Contó afirma que Mariana Vidotto e uma segunda vítima, a médica Laryssa Moraes, têm o objetivo de extorqui-lo. Seu advogado, Eduardo Mahon, acionou as duas por extorsão e denunciação caluniosa. Para eles, as mulheres tentam destruir a imagem de Contó com o objetivo de obter vantagens financeiras, por meio de chantagem.

O caso

Em princípio, duas mulheres decidiram expor os crimes supostamente cometidos pelo conhecido advogado Cleverson Contó. Elas registraram denúncia junto ao Ministério Público contra ele. Depois delas, vários outros casos surgiram.

O mais recente é de uma mulher, cujo nome não divulgaremos, que denunciou suposta tentativa de estupro durante uma entrevista de emprego, em 2018.

Ele nega todas as acusações e apresentou inúmeras "provas", como vídeos, áudios e outros documentos, para tentar provar que está sendo vítima de uma armação.


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Ana   17-09-2020 19:46:20
Eita hominho feio

Responder

0
0

MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE