Única News - Site de notícias em Mato Grosso

Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019, 17h:59

Maria Taquara, um dos principais símbolos da história cuiabana, retoma seu lugar de origem

Vithória Sampaio
Única News

Após cinco meses fora do seu lugar de origem, período em que passou por restauração, a escultura que representa Maria Taquara foi reinstalada na praça que leva seu nome, no centro de Cuiabá, próximo à Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), nesta quarta-feira (11).

A escultura, que foi criada há quase 30 anos, foi retirada no dia 15 de julho deste ano para receber um trabalho de restauração, com o objetivo da preservação histórica do monumento. Também foram feitas melhorias na Praça Maria Taquara.

A restauração faz parte do projeto Cuiabá 300 anos, da Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Sobre Maria Taquara

Maria Taquara, como foi apelidada, viveu em Cuiabá na década de 40, morava num terreno baldio perto de onde se localiza hoje o Shopping Goiabeiras. O apelido veio devido à altura e magreza. Vivia de lavar roupas para algumas famílias e ficou famosa, porque era muito corajosa e desafiava os padrões sociais da época. Foi a primeira mulher a usar uma calça comprida.

“Durante o dia, ela trabalhava em um serviço honesto, mas à noite, em seu barraco de adobe e coberta de palhas, ela virava a casaca. Servia sexualmente aos soldados do antigo 16º batalhão de Caçadores que lhe davam algumas moedas”, conta o historiador Henrique Pompilio de Araújo.

Segundo ele, a noite era “aquela festa” na casa de Maria Taquara. “Era ‘meu bem’ pra cá, ‘meu bem’ pra lá. Cuiabá era ainda uma cidade pequena e havia falta de mulheres para estas necessidades. Maria Taquara viveu assim por muito tempo. Não ofendia ninguém e vivia sempre quieta no seu canto fazendo os afazeres domésticos, carregando uma trouxa para um lado e outro”.

Maria Taquara tornou-se uma lenda em Cuiabá, era muito conhecida na época. O que se sabe sobre ela é que era esguia, quase sem seios, cabelos encrespados, requeimada de sol e possuía um sotaque nordestino. É considerada uma pioneira na igualdade e direitos sociais para as mulheres.


Fonte: Única News - Site de notícias em Mato Grosso

Visite o website: unicanews.com.br