Cuiabá, 31 de Outubro de 2020

CIDADES
Segunda-feira, 14 de Setembro de 2020, 19h:09

DENÚNCIA

Apenas uma semana antes de viagem, Gol cancela reserva e prejudica empresária

Da Redação
Única News

Reprodução

A empresária Lucy Macedo, diretora do site Única News, denunciou ter sido vítima do descaso da companhia aérea GOL. Com o objetivo de comemorar seu aniversário junto de parte da família em Porto Seguro (BA), comprou passagens para ela e o filho, de apenas 6 anos de idade, em horário menos turbulento para a criança (e mais caro), mas teve os planos frustrados pela empresa.

Faltando apenas uma semana para embarcar, em voo que sairia às 5h30 de Cuiabá, com escala em São Paulo e chegada às 11h35 em Porto Seguro, a companhia aérea decidiu cancelar sua reserva, sem qualquer aviso prévio.

Agora, ela será obrigada a embarcar às 17h50 em Cuiabá e chegar apenas à 00h45 em Porto Seguro. Ao chegar de madrugada na cidade, ainda vai ter que pegar uma balsa para chegar ao destino final. Tudo isso com uma criança de apenas 6 anos, a quem Lucy queria preservar, escolhendo pagar mais caro para viajar durante o dia.

“É um absurdo! Vou chegar lá uma hora da manhã, pegar um carro ou uma balsa, que nem sei que hora sai, com uma criança de 6 anos dormindo! Vê se tem cabimento”, questiona.

Na viagem de volta, o absurdo se repete. Programada para sair de Porto Seguro às 15h50, com chegada em Cuiabá às 22h20, portanto chegando em horário habitual do sono do filho, mais uma vez os planos se desfizeram.

A GOL mudou o horário de saída para as 6h10 de Porto Seguro, obrigando a família a sair do hotel de madrugada para fazer check-in no aeroporto, chegando em Cuiabá às 10h15 da manhã.

Os prejuízos não são apenas emocionais. Chegando de madrugada em Porto Seguro, ao invés de às 11h35 como estava previsto, Lucy terá que pagar uma diária a mais no hotel, isso se tiver quarto disponível no horário.

A companhia aérea não lhe deu opções: ou aceita esses horários ou remarca a viagem para outra data. E, para remarcar, será obrigada a pagar uma taxa.

“Comprei as passagens no início de agosto. Planejei cada passo da viagem com antecedência, justamente para garantir o conforto do meu filho. Eles não deram opção. Ou aceito o horário que eles estão me obrigando ou pago taxa para mudar para outra data. Aí perco o meu aniversário com a minha família, além de perder dinheiro. Se eu pedir o dinheiro de volta, pode levar anos”, desabafou.

Outro lado

Até o fechamento desta matéria, a companhia GOL não respondeu ao nosso pedido de nota. O espaço segue aberto para futuro posicionamento.

O que diz a ANAC

Conforme a ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, cerca de 11,57% dos voos são cancelados ou tem horários trocados no Brasil por ano, o que equivale a um total de 112 mil voos. Com isso, cerca de 12,1 milhões de consumidores são atingidos anualmente.

O direito dos passageiros está definido pela resolução número 141 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Dessa forma, atrasos, cancelamentos e demais problemas aéreos deverão ser reembolsados e indenizados aos passageiros pela companhia responsável pelo transtorno.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE