Cuiabá, 16 de Outubro de 2019

VOLTA AO MUNDO
Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019, 10h:19

DEFLAGRADA NA QUINTA-FEIRA

Operação da PF contra líder do governo no Senado causa saia justa em Bolsonaro

Por Gerson Camarotti

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Auxiliares do governo admitiram ao blog que causou "saia justa" ao presidente Jair Bolsonaro a operação da Polícia Federal (PF) deflagrada nesta quinta-feira (19), no Senado Federal, e que teve um dos alvos o líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e o filho dele, o deputado federal Fernando Bezerra Coelho Filho (DEM-PE). A PF cumpriu mandados de busca e apreensão nos gabinetes dos dois parlamentares.

A avaliação de interlocutores do presidente é de que, se por um lado há forte pressão por parte do eleitorado bolsonarista mais identificado com a Operação Lava Jato pela queda de Bezerra, por outro lado, há o reconhecimento de que o líder do governo é uma espécie de avalista da relação entre Planalto e o Senado.

Senadores relataram ao blog que o governo Bolsonaro pode ter ainda mais dificuldade em formar uma maioria com o cenário de queda de Bezerra. No núcleo palaciano, a percepção é que a reforma da Previdência estará blindada, independentemente do desfecho deste caso. Mas outros pleitos do governo ficam ameaçados, como a aprovação do nome do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para o cargo de embaixador em Washington.

"Se isso acontece com o líder do governo, imagina o que não pode acontecer com qualquer um de nós", admitiu ao blog um senador, resumindo o sentimento de um setor do Congresso. A operação da PF reacendeu no Congresso um ambiente de apreensão dos tempos em que a Operação Lava Jato investigou vários parlamentares influentes. E deflagrou um movimento suprapartidário de autoproteção de senadores.

Ao mesmo tempo, o presidente Jair Bolsonaro havia dado, recentemente, demonstrações públicas de desconforto com o atual comando da Polícia Federal. Em entrevista, chegou a colocar em xeque a permanência do diretor-geral do órgão, Maurício Valeixo. A situação parecia contornada nesses últimos dias.

Mas diante da operação contra Bezerra, novas críticas ao comando da PF voltaram a ganhar força no núcleo mais próximo do presidente. Ao mesmo tempo, há o reconhecimento interno que qualquer movimento para mudar a cúpula da Polícia Federal passaria uma sinalização negativa de interferência do governo no órgão. E que isso, causaria forte desgaste ao presidente.

"A situação do governo é de embaraço político com esse episódio", resumiu ao blog um interlocutor próximo do presidente.

Nesta quinta, ainda durante a manhã, o senador Fernando Bezerra Coelho disse que colocou seu posto de líder do governo no Senado à disposição de Bolsonaro. O presidente ainda não se manifestou sobre o assunto.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE