Cuiabá, 23 de Junho de 2018

DISCURSO

Quarta-feira, 06 de Junho de 2018, 09h:57 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

'Eleições de outubro serão um divisor de águas na história', diz FHC

Declaração foi dada durante lançamento de manifesto pela união dos partidos de centro

Notícias ao Minuto

(Foto: Nacho Doce/Reuters)

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou nesta terça-feira, 5, em mensagem lida durante o lançamento de um manifesto pela união dos partidos de centro, que as eleições deste ano representam a chance de recuperar a "legitimidade democrática" no País. O manifesto, cujo teor foi antecipado pelo jornal O Estado de S. Paulo em 17 de maio, foi lançado na Câmara, em um evento esvaziado e sem a presença de nenhum pré-candidato à Presidência.

"As eleições de outubro serão um divisor de águas na história do País. As lideranças políticas precisam enxergar que está em jogo a recuperação da legitimidade democrática da autoridade política ou a desorganização política, econômica e social do Brasil", disse FHC na mensagem, sem mencionar o nome do presidente Michel Temer, que chegou ao poder em 2016 após o impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff (PT).

O ex-presidente afirmou que o Brasil precisa recuperar a confiança no futuro e que não será possível chegar lá "voltando ao passado do autoritarismo ou ao passado mais recente do lulopetismo". "O manifesto é um chamado à consciência sobre a gravidade do momento atual e sobre as consequências profundas e duradouras que terão nossas ações e inações", disse o tucano, que não compareceu ao evento.

O manifesto tem nomes de 30 intelectuais e políticos do PSDB, MDB, PSD, PPS, PV e PTB, mas o lançamento foi prestigiado só por lideranças dos quatro primeiros partidos. Dos 19 políticos presentes, a maioria (13) era do PSDB, legenda que tem o ex-governador Geraldo Alckmin como presidenciável.

O documento divulgado traz como apoiadores políticos do DEM, mas integrantes da sigla negam que tenham assinado o manifesto. "Participamos das reuniões de discussão, mas não assinamos em respeito à candidatura do Rodrigo (Maia)", disse o deputado Mendonça Filho (DEM-PE). Além do nome dele, o documento trazia como apoiadores os deputados do DEM José Carlos Aleluia (BA) e Heráclito Fortes (PI), na casa de quem foram feitas algumas das discussões sobre o manifesto. O deputado Marcus Pestana (MG), secretário-geral do PSDB e principal articulador do manifesto, por sua vez, garante que os parlamentares do DEM assinaram o documento.

"Não queremos substituir a iniciativa e o protagonismo dos pré-candidatos, que são os maiores atores. Queremos nos restringir ao papel de fermento", afirmou Pestana. "Não estamos criando arqui-inimigos, estamos definindo posições. Se vai ter a unidade de apenas um candidato, isso só o processo vai dizer", disse o presidente do PPS, Roberto Freire.

No manifesto, eles apresentaram 17 propostas para o País. Entre as medidas, estão reformas da Previdência, com adoção de um sistema único para servidores e trabalhadores da iniciativa privada, e tributária, sem aumento de impostos. Também pregam a manutenção do Bolsa Família, mas "recuperando seu caráter educacional". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Maio 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br