Cuiabá, 21 de Janeiro de 2020

VOLTA AO MUNDO
Terça-feira, 14 de Janeiro de 2020, 09h:32

INFLAÇÃO DE 2019

Bolsonaro diz que há brecha para reajustar o salário mínimo pela inflação

Presidente disse que vai conversar sobre o tema com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na tarde desta terça. Valor fixado pelo governo para o mínimo ficou abaixo da inflação.

Por Pedro Henrique Gomes, G1
Brasília

(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (14) que o governo vê uma brecha para reajustar o salário mínimo pelo menos no mesmo índice da inflação de 2019.

No fim de 2019, o governo publicou uma medida provisória que reajustava o salário mínimo com base em uma previsão do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Pela MP, o valor ficaria em R$ 1.039. No entanto, o INPC oficial de 2019 foi divulgado em janeiro, e o índice ficou acima do esperado (o governo previa 0,62% em dezembro, mas foi de 1,22%). Com isso, o valor do mínimo ficaria abaixo da inflação. Se for ajustado pelo valor total do INPC, vai a R$ 1.045.

O presidente afirmou ainda que vai ter uma conversa na parte da tarde com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir o tema.

"Vou me reunir com o Paulo Guedes agora à tarde. Eu acho que tem brecha para a gente atender. É porque a inflação de dezembro foi atípica, por causa do preço da carne. Então vai ser duas da tarde, tenho um despacho com o Paulo Guedes para decidir esse assunto", disse Bolsonaro a jornalistas na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada.

Em seguida Bolsonaro, foi questionado se a ideia era recompor pelo menos o valor do INPC. O presidente respondeu que sim. "É, a ideia. No mínimo isso aí. Agora, cada R$ 1 no salário mínimo são mais ou menos R$ 300 milhões [de impacto] no Orçamento. A barra é pesada, mas a gente tem que... Apesar de ser pouco o aumento, R$ 4 ou R$ 5, tem que recompor", concluiu.

Uma das possibilidades para viabilizar o reajuste do salário mínimo acima da inflação é o governo propor ao Congresso uma alteração da medida provisória, que ainda não começou a tramitar no Legislativo. Os parlamentares estão de recesso e voltam ao trabalho no início de fevereiro.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE