Cuiabá, 16 de Outubro de 2019

VARIEDADES
Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019, 09h:35

INSEGURANÇA

Na reta final da gravidez, Tatá Werneck fala: "Não existir um manual para ser uma boa mãe"

Ela conta sobre as dificuldades da gestação, a relação com Rafa Vitti e os planos para o futuro

Revista QUEM

(Foto: Reprodução/Instagram)

A apresentadora, atriz e humorista Tatá Werneck está prestes a se tornar mãe pela primeira vez. Grávida de uma menina e entrando nas semanais finais de sua gestação, ela falou sobre o sonho da maternidade e sobre seu interesse em adotar uma criança. "Eu sempre quis ter muitos filhos. Adotar também sempre quis. Isso é fato". Agora, junto com Rafael Vitti, comm quem namora há 2 anos e oito meses, ela começa a construir essa família com a bebê que vem por aí - e seus irmãos cachorros e gatos.

Em entrevista concedida para o jornalista Léo Dias, a artista de 36 anos relembra a trajetória difícil com a gravidez com muitos problemas desde o começo - os forte enjoos que a fizeram andar todos esses meses com um balde a tira colo, e o descolamento de placenta, que a fez ficar em repouso total nos dois primeiros meses da gravidez. Tudo isso contando com a parceria de Rafa. "Ele acorda comigo as quatro vezes que acordo de madugada e, de olhos fechados, diz coisas como: 'Obrigado, meu amor, por cuidar dela. Você está sendo muito guerreira'. É apaixonante", confessa.

Durante a entrevista, ela falou sobre sua vontade de ser mãe, mas confessou que não achava tempo para ir atrás desse objetivo de vida e acabou pensando que não aconteceria. "Eu não conseguia me imaginar tendo que parar de trabalhar, porque amo muito o que faço e sempre fiz três faculdades ao mesmo tempo, Globo e Multishow etc. Só que Rafa sempre quis ser pai cedo, e ficamos num esquema 'Deixa que eu deixo' depois de Deus Salve o Rei. Como tinha endometriose, não imaginei que pudesse engravidar antes de operar. Então, estava tudo programado para pensar nisso só daqui a dois anos. Mas era para ser agora".

A apresentadora gravou toda a nova temporada de Lady Night durante a gestação, mas fez questão de deixar claro, tanto no programa quanto em eventos aos quais compareceu, que não estava sendo nada fácil. "Eu me sentia muito mal. Gravava não sei como. Mas eu queria ter esse registro e só trabalhei porque tinha liberação da minha médica. Quando ela dizia 'repouso', eu cancelava imediatamente. Mas achei muito importante poder falar sobre isso. As mulheres não têm licença por estarem enjoadas. E, muitas vezes, tudo é visto como frescura", explica.

"Eu pensava: 'Meu Deus! Como alguém que passa mal assim pode ir trabalhar? Pegar um ônibus? Ou por exemplo não ter apoio de alguém?' Chorei muito e me senti culpada pelo privilégio".

Uma das coisas que chamou atenção do público, principalmente na temporada atual de seu programa é que Tatá chorou em 99% das entrevistas, mais ainda quando o tema era a maternidade. No quadro Entrevista Com o Especialista, ela conversou com uma doula, uma espécie de parteira que ajuda a mãe no processo, e confessou que estava com medo - em particular, do parto. O que ela voltou a afirmar na entrevista. "Passei períodos me sentindo muito culpada por reclamar que estava difícil, até perceber que tenho esse direito. Todas temos. Isso nada tem a ver com o amor pela minha filha. Antes, me deixava insegura ficar esse tempo sem trabalhar. Eu não tirava férias de mais de 12 dias por muitos anos. Agora, isso não me preocupa mais. Me preocupa conseguir fazer minha filha feliz", afirma.

"O parto também me dá medo. Mas minha maior insegurança é não existir um manual para ser uma boa mãe. É aprender com uma bebê que já nascerá dependendo de mim. E tenho medo de não saber dar tudo o que ela precisa".

Sobre o futuro como pais, Tatá analisa a diferença entre ela e Rafa, que tem sido seu companheiro no processo e por quem ela "se apaixona todos os dias". "Acho que aprenderemos muito um com outro na educação da bebê. Rafa acha que tem que deixar a criança aprender com mais liberdade. Eu acredito que serei mais neurótica e preocupada".

Tatá adianta que deve ficar seis meses de licença-maternidade para depois voltar à ativa com Lady Night, a segunda temporada da série Shippados, do Globoplay, e um filme. Além disso, ela confessa que, se não fosse a gravidez, estaria no elenco de Salve-se Quem Puder, próxima novela das sete, de Daniel Ortiz.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE