Cuiabá, 20 de Fevereiro de 2019

RADAR NEWS
Sexta-feira, 04 de Agosto de 2017, 16h:38

NA MIRA DA LEI

Secretário pode ter recebido propina da JBS

Da Redação

(Foto: TCE-MT)

Neri Geller

 

O secretário de Políticas Agrícola do Ministério, Neri Geller, foi acusado, na última quinta-feira (03), pela Revista Época, de receber proprina da empresa JBS.

 

"Eram R$ 250 mil. O destinatário do dinheiro sujo era, dessa vez, Neri Geller, peemedebista então ministro da Agricultura e muito próximo do ex-deputado Eduardo Cunha e do presidente Michel Temer", diz trecho da matéria.

 

Segundo a revista, os R$ 250 mil. teriam sido entregues, em outubro de 2014, por Florisvaldo de Oliveira, também conhecido como o homem da mala da JBS.

 

Na época, a operação Lava Jato já havia sido deflagrada. A entrega da propina também teria contado com a ajuda do ex-deputado Eduardo Cunha.

 

Em contato com a revista, o mato-grossense e ex-ministro da Agricultura, afirmou desconhecer a denúncia. "Procurado, o ex-ministro da Agricultura e atual secretário de Políticas Agrícolas, Neri Geller, afirmou ter recebido com “surpresa e indignação” a notícia de que seu nome aparece na delação da JBS".

 

 

 

Leia abaixo o trecho na íntegra:

 

"Em outubro de 2014, Florisvaldo de Oliveira, o homem da mala da JBS, entrou num avião rumo a Brasília para mais uma entrega de dinheiro. Eram R$ 250 mil.

 

O destinatário do dinheiro sujo era, dessa vez, Neri Geller, peemedebista então ministro da Agricultura e muito próximo do ex-deputado Eduardo Cunha e do presidente Michel Temer. O dinheiro foi entregue por Florisvaldo no gabinete do ministro. Em meio à Lava Jato.

 

Procurado, o ex-ministro da Agricultura e atual secretário de Políticas Agrícolas, Neri Geller, afirmou ter recebido com “surpresa e indignação” a notícia de que seu nome aparece na delação da JBS." (Com informações da Revista Época)


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE