Cuiabá, 24 de Janeiro de 2019

RADAR NEWS
Terça-feira, 05 de Setembro de 2017, 15h:22

APÓS REJEITAR CPI

Presidente da Câmara arquiva pedido de esclarecimento ao Prefeito

Da Redação

(Foto: Secom /Câmara de Cuiabá)

justino malheiros 2.jpg

 

 

Após negar rumores de que alguns parlamentares teriam recebido o mensalinho para manterem o apoio ao prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) e rejeitar a CPI, que investigaria seu envolvimento nos esquemas do ex-governador Silval Barbosa,  o presidente da Câmara dos Vereadores, Justino Malheiros (PV), arquivou o pedido de convite para que o prefeito se dirigisse até a câmara prestar esclarecimentos.

 

No último dia 24, o Jornal Nacional, da Rede Globo, transmitiu um vídeo em que Emanuel Pinheiro  - na época deputado estadual - aparece, junto com outros parlamentares, recebendo uma suposta propina do ex-chefe de gabinete do governador Silval Barbosa, Sílvio Corrêa. O material faz parte dos autos da delação premiada do ex-governador Silval Barbosa, homologada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Com a imagem do prefeito envolvido nos escândalos, o vereador Marcelo Bussiki (PSB) propôs a abertura da CPI, que investigasse o suposto envolvimento do gestor municipal nos esquemas de corrupção. A proposta, com apenas 6 votos, foi rejeitada no último dia 29.

 

Após isso, o líder do PSB no Legislativo, vereador Gilberto Figueiredo, um dos seis vereadores que assinaram o pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), convidou o gestor municipal a comparecer na Câmara e oferecer seus esclarecimentos.

 

Na decisão, o presidente da Casa justificou o arquivamento ao garantir que, segundo o regimento interno, o prefeito não pode ser convocado a vir na Câmara. Diante dessa situação, o vereador expôs seu descontentamento em sua página no Facebook.

 

 

"Diante do indeferimento, apresentei hoje um novo requerimento para que o prefeito Emanuel Pinheiro faça as explicações por escrito, conforme o regimento interno. Já passou da hora de o prefeito se pronunciar sobre este caso", afirmou o parlamentar durante desabafo.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO



VÍDEO PUBLICIDADE