Cuiabá, 19 de Junho de 2019

RADAR NEWS
Sexta-feira, 12 de Janeiro de 2018, 17h:00

MUDANÇA NO STAFF

Governador já diz ter nomes dos futuros secretários

Da Redação

(Foto: Gcom-MT)

Taques apontando dedo.jpg

 

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou na manhã desta sexta (12), durante o lançamento do Novo Sistema de Transporte Intermunicipal do Estado, na rodoviária Cássio Veigo de Sá, em Cuiabá, que já tem os nomes dos futuros secretários que irão compor seu staff nos próximos dias.

 

 

Entre os secretários que devem sair, é Wilson Santos, da Secid e Max Russi, da Casa Civil, para disputar as eleições em 2018.

 

Questionado também quanto sua situação no PSDB, o governador garantiu que está tudo bem no “ninho tucano”, dentro da normalidade e na próxima semana irá se reunir com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O gestor ressaltou que só deve falar após o feriado da semana Santa.

 

 

Taques reúne secretários para conter gastos e promete fechar 2018 no azul

 

Assim que retornou do período de licença, o governador Pedro Taques (PSDB) se reuniu com secretariado na última quarta (10), para determinar que neste último ano de mandato, a intenção é buscar pelo ajuste fiscal do Estado e promete fechar as contas deste ano sem gastos.

 

Segundo o secretário da Casa Civil, Max Russi, governador orientou que a equipe econômica faça o ajuste no orçamento para 2018, levando em conta a Emenda Constitucional do Teto de Gastos.

 

"O trabalho da equipe econômica será para garantir excesso de arrecadação ao longo do ano, ao contrário da frustração ocorrida nas primeiras semanas de janeiro, quando, com fluxo insuficiente de caixa, o Governo precisou escalonar os salários dos servidores", disse.

 

Além de Russi, participaram da reunião, o secretário de Planejamento, Guilherme Muller, adjunto de Fazenda, Vinicius Saragiotto, secretário de Gestão, Júlio Modesto, de Educação, Marco Marrafon e o adjunto do Tesouro, Francisco Serafim.

 

 

Taques ainda determinou que a equipe econômica mantenha o arrocho fiscal e corte nas despesas, para garantir o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), uma vez que deverá entregar o Governo, ao final de 2018, sem restos a pagar.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE