Cuiabá, 21 de Novembro de 2017

"DEU NA VEJA"

Terça-feira, 31 de Outubro de 2017, 17h:28 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Colunista prevê que delações de Silval e Riva atingirão ministro do STF

Veja
Augusto Nunes

SILVAL E RIVA1.jpg

(Foto: Divulgação)

O colunista do site da Revista Veja, Augusto Nunes, repercutiu o “bate boca” entre os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso, em sessão plenária da Suprema Corte na última semana.

 

Dando ênfase na fala de Barroso de que Gilmar tem uma “leniência em relação a criminalidade do colarinho branco”, Augusto Nunes levantou a possibilidade de que o ministro matogrossense pode ser citado em colaborações premiadas, especialmente as do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e do ex-deputado estadual José Riva.

 

A discussão entre Gilmar Mendes e Barroso envolveu até o Estado de origem de ambos. Ao citar o Rio de Janeiro, onde o ex-governador Sérgio Cabral e outros integrantes de seu Governo estão presos, Gilmar ouviu de Barroso. “Vossa excelência deve achar que é Mato Grosso, onde está todo mundo preso”, disparou.

 

O matogrossense de Diamantino rebateu e ambos seguiram a discussão, com Barroso acusado Mendes de ser complacente com os acusados de corrupção. Já Gilmar, acusou o “colega” de ter votado por soltar o ex-ministro do governo Lula, José Dirceu (PT).

 

Em análise, Augusto Nunes, que também apresenta o programa O Livre em Mato Grosso, citou as diferenças entre Barroso e Gilmar. Em relação ao mato-grossense, apontou sua estreita relação com Riva e Silval.

 

Para o colunista, a relação entre o trio não se restringiria apenas a uma amizade. “Além de contemplar Silval com sucessivas demonstrações de amizade, Gilmar libertou José Riva com um habeas corpus”, diz Augusto Nunes.

 

Em seguida, ele lembrou que as delações de Silval e Riva estão apenas no início e podem envolver muitos figurões, inclusive do Judiciário. “Os dois corruptos mato-grossenses só começaram a contar o que sabem. Logo estarão tratando de bandalheiras que envolvem o Poder Judiciário. É certo que as incontáveis patifarias não se limitam à primeira instância”, assinala. Confira na íntegra.

 

 

 

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br