Cuiabá, 20 de Fevereiro de 2019

POLÍTICA
Sexta-feira, 11 de Maio de 2018, 08h:41

DURANTE VELÓRIO

Presidente do PV irá representar contra Fabris por agressão

Jéssica Moreira

Reprodução

Colagem sem título.jpg

 

O presidente do Partido Verde (PV), em Rondonópolis (234 km de Cuiabá), o advogado, Carlos Naves (PV), disse que irá representar  o deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), ao Ministério Público Federal  (MPF), por ter agredido fisicamente em pleno velório do ex-parlamentar estadual, Hermínio J. Barreto, que ocorreu na Câmara da cidade na quinta-feira (10). A assessoria de imprensa do deputado informou não irá se pronunciar sobre o caso.

 

Fabris teria chegado ao velório acompanhado de sua esposa e ao cumprimentar os presentes, deixou de apertar as mão do Carlos. O deputado já conhecido por criar confusões. 

 

 Assim, sem meio termo e esquecendo que estaria em um velório, foi tirar satisfação com o parlamentar que o retrucou, dizendo, que não o havia cumprimentado por que sabia que ele havia falado mal dele para outras pessoas. Mas que sobre este assunto conversariam depois, em outra ocasião.

 

Não respeitando o local onde estava e em tom de ironia o Carlos disse que queria resolver a situação ali mesmo, foi quando então o deputado se exaltou e acabou dando um soco no peito dele.

 

Ainda segundo o detalhadamente do dirigente partidário rondonopolitano, Fabris teve a ajuda da mulher e do filho na agressão.

 

“Assim que ele me fez esta primeira abordagem e foi saindo, eu disse a ele com meu tom de voz característico, que é alto, que ele esclarecesse ali mesmo a questão. Foi quando ele veio com dedo em riste para cima de mim e eu logo interpelei dizendo que os problemas dele são com o Ministério Público Federal e com a Polícia Federal, não comigo. “

 

 

Acidente

 

O parlamentar e o cunhado Ailton Pereira (conhecido como Ita) morreram na noite desta última quarta-feira (9), após um acidente na BR-364, próximo de Jaciara (146 Km de Cuiabá), que envolveu pelo menos nove veículos, entre três carretas, carregadas com óleo vegetal e uma com soja, três utilitárias e três carros de passeio. 

 

Barreto e o cunhado ficaram presos nas ferragens e já foram retirados dos veículos sem vida. Três pessoas também ficaram feridas. Elas foram socorridas e encaminhadas para o Hospital de Jaciara. O estado de saúde delas ainda não foi informado. E ainda outras seis saíram ilesas da tragédia na Br-364.

 

Trajetória 

 

Barreto foi prefeito de Rondonópolis entre os anos de 1989 e 1992 e deputado estadual por cinco mandatos. Em 2014, tentou se eleger deputado federal, mas ficou na primeira-suplência, ao receber cerca de 50 mil votos. No fim do ano passado, o ex-parlamentar Barreto anunciou a aposentadoria da vida política. 

 

Nesta quarta, o ex-deputado republicano esteve na Assembleia Legislativa, em meio ao burburinho da operação Bônus, deflagrada pelo Gaeco que levou para a cadeia o parlamentar socialista, Mauro Savi, em esquema de desvio de dinheiro ,nas licitações do Detran.

  

Ele teria se reunido com o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Eduardo Botelho (DEM) e com o primeiro-secretário, deputado Guilherme Maluf (PSDB). Barreto teria também visitado o Palácio Paiaguás e a Casa Civil.  E ainda teria ido ao Palácio Paiaguás, na Csa Civil. Assim, na hora do acidente ele estaria em direção Cuiab[a a Rondonópolis.

  

Hermínio J. Barreto era fiscal da Sefaz e atuou atua na politica mato-grossense desde o início dos anos 80. Foi prefeito de Rondonópolis entre 1989 e 1992 e deputado estadual por vários mandatos. Em 2014, concorreu à Câmara Federal quando obteve 50 mil votos, ficando na suplência. “Barretinho” atuou como radialista esportivo no município de Rondonópolis, onde tinha base eleitoral. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE