Cuiabá, 20 de Março de 2019

POLÍTICA
Quarta-feira, 04 de Abril de 2018, 17h:03

ENXADRISTAS DA POLÍTICA

Pivetta não descarta uma disputa ao governo, mas espera decisão de Mauro

Marisa Batalha

(Foto: Reprodução/Web)

Pivetta 1.jpg

 

Depois de se posicionar publicamente contra a reeleição do governador tucano, Pedro Taques - em entrevista à Rádio Capital FM, em 15 de março -, e lançar o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), na disputa pelo comando do Palácio Paiaguás, o empresário e ex-prefeito de Lucas do Rio Verde (a 360 km de Cuiabá), Otaviano Pivetta (sem partido), confirmou ao Site Única News, nesta quarta-feira (04), que não descarta a possibilidade de se tornar o cabeça de chapa, na corrida eleitoral deste ano, pela Governadoria do Estado.

 

Em um cenário que começa a ser montado, portanto, ainda sem decisões concretas Pivetta, no entanto, não esconde que vem realizando inúmeras reuniões com caciques políticos, na busca de cristalizar uma oposição mais volumosa contra o gestor tucano. E que ainda acredita que Mauro Mendes decida-se em favor da candidatura ao Palácio Paiaguás.

 

Ex-aliado do governador, Pivetta foi um dos coordenadores da campanha do tucano nas eleições ao Senado e na disputa pela Governadoria do Estado. Há quem diga que as diferenças começaram a ganhar densidade quando o ex-prefeito de Lucas comandou a equipe de transição, na vitória de Taques, em 2014 e a deixou poucos meses mais tarde. Avolumadas em 2016, quando era favorito à reeleição em Lucas. 

 

Seu adversário - Luiz Binotti -, que acabou vencendo por uma diferença de apenas 242 votos, contou com um bem estruturado apoio do vice-governador, o social democrata, Carlos Fávaro e com a coordenação jurídica à cargo do escritório de advocacia de Paulo Taques, na época, secretário-chefe da Casa Civil.

 

Para poder enfrentar Taques- caso Mauro recue da disputa -, Pivetta já prepara sua volta ao PDT. Partido que Pivetta deixou para migrar para o PSB em abril de 2016.  E largando as fileiras socialistas em junho de 2017, rompendo com a sigla quando o deputado federal Valtenir Pereira assumiu a presidência estadual. 

 

O deputado estadual e presidente do diretório regional do PDT, Zeca Viana, também não descarta a candidatura e que a volta de Pivetta ao partido já sinaliza esta possibilidade. Amigos, Viana é categórico ao afirmar que Pivetta nunca saiu, de fato, da legenda, mas que teria sido emprestado 'por um tempo' ao PSB. E que mesmo depois de prometer 'ficar longe da vida pública', Otaviano estaria disposto a encarar a campanha eleitoral para governador de Mato Grosso, caso Mauro Mendes (DEM) não entre na disputa.

 

Lembrando ainda que em uma das últimas declarações do ex-prefeito, Pivetta teria mostrado sua indignação com a gestão de Taques, ao revelar "que Taques nessa última empreitada, teria frustrado não só a ele como a população de Mato Grosso'. 

 

Em reunião já marcada para a próxima segunda-feira (09), com o do grupo e, sobretudo, com Mauro Mendes, será decidida qual  direção os opositores tomarão quanto à candidatura e à reeleição de Taques.

 

Mas a depender do que a esposa de Mauro, Virgínia Mendes revelou também nesta quarta, em sua página no Facebook, de que ela 'não teria qualquer veto a candidatura do marido ao governo e que estariam juntos como família em quaisquer decisões, então possivelmente na próxima reunião poderá chegar como um posicionamento oficial do ex-prefeito de Cuiabá.

 

Retomando-se a estratégia anterior, quando Pivetta sairia junto na chapa ao Palácio Paiaguás, como vice de Mauro, como já fizeram em 2010, quando perderam para Silval Barbosa. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE