Cuiabá, 25 de Fevereiro de 2018

"SEPARANDO O JOIO DO TRIGO"

Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2018, 18h:25 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Pinheiro culpa Estado por invasão na UPA e chama tiroteio de tragédia anunciada

Marisa Batalha

(Foto: SICOM/Prefeitura)

Pinheiro-invasão-Morada do Ouro.jpg

 

Paralelamente à coletiva do secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, na tarde desta quarta-feira (14), outra quase no mesmo horário foi realizada no Palácio Alencastro, com o prefeito emedebista, Emanuel Pinheiro. A pauta, claro, foi a invasão da Unidade de Pronto Antendimento (UPA) do bairro Morada do Ouro, nesta última terça-feira (13), por criminosos. Numa tentativa fracassada de resgatar o preso José Edmilson, reeducando do Centro de Ressocialização de Cuiabá, que foi levado ao local para ser medicado. No entanto, a ação deixou cinco feridos, dois deles iinternado em estado grave.

 

Para Pinheiro, o que ocorreu nesta última terça-feira, na unidade de saúde foi 'tragédia anunciada'. E que o local é de responsabilidade da Segurança Pública do Estado. Posição um pouco diferente dada pelo secretário da Sesp, Gustavo Garcia, que havia revelado horas antes aos jornalistas, que a segurança em patrimônios públicos municipais, como na UPA, deveria ser de responsabilidade da Guarda Municipal, mas como em Cuiabá não há essa atividade, teria sido assinado um Termo de Cooperação Técnica (TAC) entre a Secretaria de Estado e prefeitura para que policiais pudessem atuar nestes locais. Assim, mesmo que o governo esteja dando um tratamento prioritário à ação dos criminosos, as responsabilidades, quando nada, deverão ser divididas. 

 

Na coletiva, Pinheiro buscou um 'tom' mais ameno ao falar sobre a necessidade de esclarecer os fatos. Mas não poupou o governo do Estado de sua responsabilidade  sobre o que ocorreu na UPA, dizendo que não estaria jogando pedra, 'mas era necessário colocar os pingos nos is e separar o joio do trigo'.

 

Declarando ainda, que houve imprudência por parte da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, já que a Secretaria de Saúde ou direção da UPA não foram comunicadas sobre o preso que estava sendo levado para atendimento na unidade, o que infringe o procedimento padrão para garantir a segurança de pacientes e servidores.

 

Ainda de acordo com o gestor cuiabano, o 'procedimento padrão deve ser respeitado à risca para deslocamento de presos, incluindo casos de atendimento de saúde'. E ainda que a 'equipe médica não viu nenhuma patologia clínica ou necessidade de deslocamento do reeducando do sistema penitenciário'.

 

E sem meias palavras revelou que 'o fato ocorrida na UPA é gravíssimo já que outras pessoas poderiam ter sido feridas e mortes registradas'. Inclusive, que o secretário da Sesp, teria afirmado que o governo trata o caso como prioridade para identificar os autores do atentado.

 

Situação das vítimas

 

O bebê de seis meses atingido por dois tiros, sendo um na mão e um no abdômen, e a mulher de 33 anos, atingida por um tiro no tórax, durante tiroteio, continuam em estado grave. Ambos passaram por cirurgias e estão internados em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), no Pronto-Socorro de Cuiabá.

 

Ainda de acordo com a secretária municipal de Saúde, Elizeth Araújo, a bala que atingiu a barriga do bebê se alojou nas costas dele. Revelando, ainda, que a situação da mulher seria mais preocupante. Ela teve um trauma torácico, passou por um procedimento, fez a drenagem do tórax.

 

Já a mãe do bebê foi atingida por um tiro no braço esquerdo e está bem fisicamente, porém, extremamente abalada com o atentado.

O agente penitenciário, atingido por tiro na coxa, passou por cirurgia e está sob a supervisão de uma equipe de cirurgia vascular. E a enfermeira da unidade de saúde, atingida na perna, recebeu alta médica e se recupera em casa.

 

Entnda o caso

 

Nesta última terça-feira, três bandidos invadiram a UPA da Morada do Ouro, para resgatar o preso José Edmilson preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá , que foi levado ao local para ser medicado.  E oito fugiram após o resgate frustrado.

 

Dois criminosos, na tentiva de resgatar José Edmilson, fizeram uma mulher refém. Contudo, os agentes penitenciários, que faziam a escolta do preso, em rápida ação evitaram o resgate. Houve troca de tiros, resultando nos cinco feridos. 

 

Cápsulas de projéteis de armas de fogo foram recolhidas no local e foram encaminhadas à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), que também esteve no local realizando a coleta de vestígios, para auxiliar nas investigações da Polícia Civil. As polícias agora trabalham para identificar e prendê-los.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Dez 2017/Jan 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br