Cuiabá, 21 de Outubro de 2017

BARRIGA DE ALUGUEL

Quarta-feira, 11 de Outubro de 2017, 18h:00 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Perri decreta nova prisão de cabo envolvido em grampos clandestinos

Da Redação

(Foto: Reprodução/Web)

juiz-perri.jpg

 

O desembargador do Tribunal de Justiça, Orlando Perri, decretou uma nova prisão do cabo da Polícia Militar, Gérson Junior, acusado de obstrução a Justiça ao recolher o equipamento do sistema “Sentinela”, utilizado para a prática de grampos ilegais no Estado. O pedido foi feito pela delegada responsável pelas investigações, Ana Cristina Feldner.

 

Gerson já está detido por envolvimento no esquema de grampos clandestinos supostamente instalado pelo alto escalação da PM.

 

O cabo é apontado como operador do esquema que monitorou de forma irregular pessoas públicas como deputados, empresários, pessoas ligadas ao Poder Público, entre advogados e jornalistas. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

 

O cabo Gerson Corrêa está preso desde o dia 23 de maio, por decisão do juiz Marcos Faleiros da Silva, da 11ª Vara Criminal Especializada em Crimes Militares de Cuiabá, na mesma ocasião em que o coronel e ex-comandante da Polícia Militar Zaqueu Barbosa também foi preso por envolvimento nos grampos ilegais.

 

Em depoimento prestado à juíza Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal, em 14 de agosto deste ano, o cabo garantiu que nunca atuou em crimes de “barriga de aluguel”.

 

Operação Esdras

 

A Polícia Civil cumpriu no último dia 27, nove mandados de prisão e outros 15 de busca e apreensão na Operação Esdras, que investiga envolvidos no esquema dos grampos ilegais.

 

O secretário de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Benedito Siqueira, o ex secretário-chefe da Casa Militar do Estado, coronel Evandro Lesco e o ex secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques foram alvos de mandados de prisão.

 

Além deles foram presos o ex-secretário de Estado de Segurança, Rogers Jarbas, o 2° sargento João Ricardo Soler e José Marilson da Silva, proprietário da empresa que desenvolveu o sistema de monitoramento clandestino, comandado pela PM.

 

As prisões foram solicitadas pela delegada Ana Cristina Feldner e Flávio Stringueta responsáveis pelas investigações dos grampos. Elas foram decretadas pelo desembargador Orlando Perri, que é relator do caso dos grampos no TJ.

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Setembro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br