Cuiabá, 21 de Fevereiro de 2019

POLÍTICA
Quinta-feira, 01 de Fevereiro de 2018, 20h:23

ELEIÇÕES 2018

Partidos nanicos se unem para quebrar a hegemonia das grandes siglas em MT

Da Redação

(Foto: Reprodução/Web)

VEREADOR DILEMARIO 2.jpg

 

Na tentativa de quebrar a hegemonia dos grandes partidos, representantes de sete partidos políticos - considerados nanicos em Mato Grosso -, como o PSL, PROS, PRB, PSDC, PMN, PHS e Podemos se reuniram esta semana, para discutir o pleito eleitoral de 2018 e avançar na composição de uma frente para a disputa eleitoral.

 

De acordo com o vereador Dilemário Alencar, presidente do PROS no Estado, a articulação da frente suprapartidária, vem ocorrendo desde setembro do ano passado. A ideia é realizar uma composição entre siglas que não possuem representatividade na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal e, claro, construírem alternativas políticas para ganharem visibilidade e votos nestas eleições. 

 

A coligação será formada por candidatos que estão exercendo cargos de vereador e por lideranças ligadas a segmentos organizados da sociedade.

 

Ainda conforme Dilemário, essa já é a quinta reunião que realizam, para avaliar a conjuntura política de Mato Grosso e do Brasil. 'São sete partidos que estão participando, mas com a tendência de aumentar esse número. Pois queremos consolidar uma frente forte, com bons candidatos para disputar os cargos a deputado estadual e federal na eleição que vai ocorrer este ano'. 

 

A expectativa do grupo é de que, unidos, a frente poderá obter entre duas a três vagas na próxima legislatura da Assembleia e de uma a duas vagas na Câmara Federal. Em Mato Grosso, existe histórico onde frentes partidárias entre partidos pequenos obtiveram êxito. Em 2010, uma frentinha liderada pelo PTB elegeu o ex-deputado Chico Galindo com pouco mais de 11 mil votos e, em 2014, outra frente liderada pelo PV elegeu dois deputados estaduais com baixa votação.

 

"Vejo que o único caminho para os partidos pequenos elegerem deputados em 2018 é se unirem para enfrentar a máquina poderosa das grandes legendas. Com a união entre os sete partidos teremos uma base com dezenas de vereadores e prefeitos eleitos em 2012. Somente o PROS e o PRB, elegeram na última eleição municipal 58 vereadores em Mato Grosso", disse o vereador Dilemário.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE