Cuiabá, 21 de Outubro de 2018

ABUSO DE PODER ECONÔMICO

Quarta-feira, 03 de Outubro de 2018, 14h:39 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

MP Eleitoral pede cassação da juíza Selma e quebra de sigilos bancários

Da Redação

Foto: (Facebook)

Selma

 

O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu a cassação do registro da candidata ao Senado pelo PSL, juíza Selma Arruda, nesta quarta-feira (3). O pedido foi protocolado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e ainda ressaltou que caso, seja eleita no domingo (7), que seja barrada a sua candidatura, por suspeita de abuso de poder econômico. 

 

A representante do MP Eleitoral pede que a punição por abuso de poder econômico seja extendida ao primeiro suplente, o produtor rural Gilberto Possamai, e a segunda suplente, a ex-assessora Clerie Fabiana Mendes.

 

"Seja reconhecida a prática de arrecadação e gastos ilícitos de campanha de responsabilidade dos requeridos com a consequente negativa do diploma, ou a sua cassação, se já outorgado, aos candidatos ora investigados, componentes da chapa majoritária, na forma do artigo 30 da Lei das Eleições", defende a procuradora Cristina Nascimento de Mello.

 

Conforme o MPE, os pedidos foram feitos, após a solicitação da inclusão na ação de investigação judicial eleitoral movida pelo advogado e também candidato a senador, Sebastião Carlos Gomes de Carvalho (Rede). O adversário pediu uma investigação após suspeita de gastos ilícitos e abuso de poder econômico da ex-magistrada.

 

Sebastião ficou desconfiado, depois que o publicitário, Júnior Brasa, moveu uma ação monitória cobrando um montante de R$ 1,2 milhão da Selma e até mesmo na campanha com marketing.

 

A procuradora pediu as quebras de sigilos bancários de Selma e Gilberto entre abril e setembro de ano, além da cassação de sua candidatura.

 

"Deve-se identificar a origem de todos créditos, sobretudo os feitos por meio de cheque ou transferência bancária, e os beneficários de todos débitos lançados no período", solicitou ao pedir que o trio fique inelegível por oito anos.

 

Os pedidos do MPE serão analisado pelo pleno do TRE. O relator é o desembargador Pedro Sakamoto.

 

(Com informações do Folha Max)

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Setembro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br