Cuiabá, 18 de Dezembro de 2018

EM HOSPITAIS REGIONAIS

Domingo, 11 de Novembro de 2018, 15h:00 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Médico, Lúdio crítica gestão do Estado na saúde e defende intervenção de OSS

Claryssa Amorim
Da Redação

Foto: (Reprodução)

LUDIO

 

Em entrevista na última sexta-feira (9), à Rádio Capital, o deputado estadual eleito este ano, Lúdio Cabral (PT), declarou que o governo atual vai deixar muitas dívidas e que só melhorar a gestão não resolverá os problemas da saúde no Estado.

 

Para o parlamentar, a solução é produzir mais recursos para poder atender aqueles municípios que não conseguem se manterem sozinho na saúde, “o papel do governo é de auxiliar essas cidades”. E ainda defende que o governo assuma diretamente a gestão dos hospitais regionais.

 

Lúdio comenta que o governo atual, em que o chefe do Executivo Pedro Taques (PSDB) saiu derrotado por Mauro Mendes (DEM) nas eleições deste ano, não fez repasses constitucionais desde 2016 e coloca sua preocupação em relação aos serviços da saúde estarem distantes da população. Ele citou o exemplo de que Mato Grosso tem mais de 80 hospitais municipais que estão desativados ou funcionando precariamente.

 

“Houve muitos atrasos por parte do governo na saúde. Então, dá para se ter uma ideia da profundidade do problema, da necessidade que o Estado precisa de ter recursos para poder investir nas políticas públicas. [...] Se esses hospitais começarem a ser reativados gradativamente para dar atenção hospitalar de baixa complexidade, terão condições de atender a população mais de perto”, opinou o deputado.

 

Ele ainda crítica que o novo modelo de gestão submetido aos hospitais regionais que “não deu certo” e deixou as unidades “sucateadas”. Segundo Lúdio, ainda como vereador, em 2010, ele denunciou e declarou ser contra a adoção de um novo modelo de gestão privatizante, onde tem a contratação da empresa OSS para cuidar dos hospitais.  

 

E não deixou de estender as diversas críticas das gestões do Estado, citando que em Mato Grosso, há 15 anos não é realizado um concurso público na área da saúde, sendo o último em 2002, onde ele foi aprovado tomando posse em 2003.

 

“Nós precisamos de concurso público e que o Estado assuma diretamente a gestão dos hospitais regionais para locar pessoal próprio e recurso próprio. E ainda defendo parcerias com universidades públicas, pois em algumas cidades, essas faculdades possuem graduação na área da saúde”, comentou o ex-vereador por Cuiabá.

 

Lúdio é médico na saúde pública há 22 anos e depois seguiu oito anos como vereador por Cuiabá. Na Câmara da capital, ele aprendeu sobre o funcionamento e a dinâmica do Parlamento. Ele ainda disputou uma cadeira na Prefeitura de Cuiabá e governo entre 2012 e 2014.

 

Lúdio pretende no ano que vem - como seu primeiro ato como deputado -, na Assembleia, entrar com um projeto de lei revogando a PEC do Teto de Gastos, que ao estabelecer um limite financeiro ao Estado, acabou engessando a administração estadual. 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Nov 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br