Cuiabá, 13 de Novembro de 2018

"POLÍTICA É FEITA DE PROSA"

Segunda-feira, 21 de Maio de 2018, 18h:36 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Medeiros adianta que não participa de reunião com Taques, mas respeita "Frentinha"

Rafael Machado e Marisa Batalha

(Foto: Reprodução/Web)

senador medeiros 4.JPG

 

Pouco à vontade com encontro na próxima semana com o governador Pedro Taques (PSDB), marcado pela 'Frentinha', bloco composto por oito partidos nanicos em Mato Grosso, do qual o Podemos faz parte, o senador José Medeiros - em conversa com o Site Única News, nesta segunda-feira (21) -, revelou que política é feita de prosa. E ainda que haja uma grande possibilidade de que sua legenda não embarque junto com os outros partidos que compõem o bloco, em caso de um acordo com o tucanato, ele não poderia vetar esta reunião com o gestor tucano.

 

Mas adiantou que não estará presente, por compromisso agendados anteriormente em Brasília. Entretanto, respeita a decisão dos representantes de cada sigla que tem seu projeto e que para viabilizá-lo, claro, precisa de condições políticas para que possa entrar em uma disputa eleitoral.

 

De acordo com o senador, embora a 'Frentinha' esteja livre para dialogar com todos os possíveis candidatos ao Governo do Estado, cabe a cada um decidir qual caminho seguir. E que, possivelmente - neste caso -, o Podemos, em particular, deverá ficar de fora, em caso de um acordo em favor da reeleição de Taques. 

 

E fazendo questão de frisar que não teria sido ele quem teria pedido o encontro, não poderia, entretanto, barrar esta reunião. 'Não procurei nada, não pedi, não solicitei este encontro com o governador, mas não irei contra uma decisão de oito partidos que formam a Frentinha (Podemos, PSDC, PSDC, PTC, PRP, PTC, PMN, Pros).

 

Lembrando ainda que uma das prioridades de sua legenda para estas eleições, seria a candidatura ao Senado, o que nesta discussão com Taques estaria fora de questão, já que as vagas já estariam preenchidas, uma para o deputado federal tucano, Nilson Leitão e outra possivelmente amarrada em outras negociações com partidos que devem compor com o gestor em sua disputa pelo comando ao Palácio Paiaguás .

 

'O projeto do Podemos é trabalhar a disputa pela presidência da República, a Senatória e a Câmara Federal. A vaga ao Senado, por exemplo, nesta discussão com o governador, claro, já estaria fora de questão. Assim, muito possivelmente, o partido deverá ficar de fora de quaisquer possíveis acordos que saiam desta reunião'.

 

E ao responder ao questionamento sobre tecer duras críticas ao governo de Taques e agora se reunir com ele, Medeiros - um dos mais de 30 ex-aliados de Taques que assinaram manifesto contra sua reeleição -, deixou claro que seu partido já estaria com negociações bem avançadas com o senador republicano Wellington Fagundes, pré-candidato ao Governo do Estado. E que dentre as exigências feitas pelo presidenciável Álvaro Dias é que a legenda evitasse alianças nestas eleições com dois partidos: o MDB e o PSDB. 

 

'O Podemos se uniu a uma Frente, ao todo oito siglas, e a maioria quer uma conversa com com Pedro Taques, então ela deve ocorrer, mesmo que eu seja o coordenador do bloco. Para nós ficaria muito difícil apoiar a reeleição de Taques, porque nós temos este projeto de pré-candidatura'. 

 

Em março deste ano, após anunciar sua filiação ao Podemos e iniciar a promoção de encontros da Frentinha, grupo que é coordenador pelo próprio Medeiros, o senador selou definitivamente o rompimento com Pedro Taques e foi categórico ao dizer que não estaria no mesmo palanque do tucano. Em abril, Medeiros assinou manifestação pública contrária ao projeto de reeleição do tucano. 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br