Cuiabá, 23 de Setembro de 2018

LÍDER DA BANCADA

Quarta-feira, 20 de Junho de 2018, 15h:18 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Medeiros aciona MPF para barrar cobrança de pedágio na BR-163

Da Redação

(Foto: Reprodução/Web)

senador medeiros 4.JPG

 

O senador José Medeiros, líder da bancada federal de Mato Grosso, no Congresso Nacional, acionou o Ministério Público Federal (MPF), para a imediata suspensão da cobrança de pedágio pela Concessionária Rota do Oeste aos usuários da BR-163, até que sejam implementadas todas as medidas necessárias à duplicação da rodovia, nos exatos termos em que foi pactuado no contrato de concessão.

 

“Nessa história toda, quem está perdendo é o estado de Mato Grosso, os mato-grossenses e o povo brasileiro. Diariamente vidas são ceifadas nessa rodovia, justamente no trecho sem duplicação e sem as mínimas condições de segurança para os usuários. Resta ao povo mato-grossense clamar ao Ministério Público para que, como legítimo representante da sociedade, adote as medidas judiciais cabíveis para a imediata suspensão da cobrança de pedágio”, enfatizou.

 

José Medeiros lembrou que, em setembro de 2017, esteve com a procuradora-geral Raquel Dodge, relatando a situação da BR-163. “Empreendemos esforços e esgotamos todas as possibilidades de articulação para que fossem viabilizadas as medidas necessárias e suficientes ao cumprimento integral do contrato de concessão pela concessionária e pelo governo federal. De lá para cá, nada aconteceu e a situação só piora”, destacou.

 

O senador disse também à Raquel Dodge que a duplicação da rodovia, bem como a sua adequada conservação e manutenção, era condição de melhoria esperada como contrapartida para o pagamento do pedágio pela sociedade. Desde a concessão, essas medidas estavam vinculadas a linha de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES).

 

No início da semana, Medeiros se reuniu com o presidente do BNDES Dyogo Oliveira, onde recebeu a confirmação da total impossibilidade de liberação da linha de financiamento por parte do BNDES, já que existe no contrato de concessão, o fato da Concessionária Rota do Oeste ser uma subsidiária da Odebrecht impede a liberação dos recursos anteriormente previstos.

 

“É importante registrar que o presidente do BNDES confirmou, novamente, que o contrato de concessão em curso condiciona investimentos à liberação do financiamento. Ora, faltou condicionar também a cobrança de pedágio à implementação efetiva dessas duas condições anteriores”, criticou.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Agosto 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br