Cuiabá, 21 de Agosto de 2018

CRISE NA SAÚDE

Quinta-feira, 12 de Abril de 2018, 19h:00 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Governo mantém ‘ladrões’ da gestão passada no Poder, diz ex-aliado

Wellyngton Souza

(Foto: Reprodução)

Otaviano Pivetta.jpg

 

O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde (a 360 km de Cuiabá), Otaviano Pivetta (PDT), ex-aliado do governador Pedro Taques (PSDB), declarou nesta quinta (12), que o chefe do Executivo trouxe apenas prejuízo ao estado. Em entrevista ao Jornal do Meio Dia, Pivetta ainda disparou que o governador mantém os mesmos ‘ladrões’ na gestão passada no Poder.

 

Entre as principais críticas à gestão, Pivetta afirmou que Taques administra mal o dinheiro público. "O governador gasta mal o dinheiro público, os resultados são pífios, os serviços essenciais como Saúde e Educação em nada melhoraram na atual gestão. Mato Grosso continua na rabeira do Brasil, que está na rabeira do mundo na qualidade em educação básica e na Saúde a mesma coisa", apontou.

 

Pivetta ainda alegou que após a crise na Saúde desencadeada devido à falta de recursos, medicamentos, greve de médicos e hospitais fechados, Taques teria deixado os 'ladrões' – sem citar nomes, na gestão do ex-governador Silval Barbosa (sem partido) ainda no Poder Executivo. "Este governo que está aí nem conseguiu trocar os ladrões dos hospitais regionais, continua os mesmos do governo anterior. Os ladrões que roubam dinheiro da saúde pública", afirmou.

 

Em declarações à imprensa na última semana, Pivetta, que foi um dos coordenadores da campanha do tucano nas eleições ao Senado e na disputa pela Governadoria do Estado, disse que a administração de Taques está reprovada pela população diante dos últimos acontecimentos.

 

"Nessa última empreitada ele frustrou não só a mim, mas Mato Grosso. A gestão não teve nenhuma estratégia ou planejamento, parecendo estar sem rumo. Tínhamos uma grande esperança no Pedro. Afinal, foi um servidor público exemplar quando era procurador da república, um senador de destaque muito bem avaliado pela crítica nacional e nós acreditávamos que ele seria um grande governador para Mato Grosso", declarou.

 

O ex-prefeito ressaltou ainda ser um equívoco culpar sempre a situação econômica no país e no estado, pelas dificuldades de sua administração, visto que Mato Grosso foi um dos últimos estados a sentir a crise. 

 

"Não dá para jogar a culpa na crise econômica. Apesar da deflação e do baixo crescimento econômico, o Estado foi o último a sentir o efeito da crise. O que faltou foi fazer uma reforma administrativa, porque a arrecadação continua positiva. O que nós vemos hoje é uma crise muita maior de gestão do que problema de recursos". 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. julho 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br