Cuiabá, 12 de Dezembro de 2017

REDE DE ESCUTAS

Segunda-feira, 30 de Outubro de 2017, 10h:53 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Feldner suspeita que novo secretário de Segurança integra esquema dos grampos

Da Redação

(Foto: PJC-MT)

Operação Esdras- delegada Ana Cristina Feldner,.jpg

 

 

A delegada Ana Cristina Feldner, umas das responsáveis pelas investigações do esquema dos grampos ilegais em Mato Grosso, também suspeita que o atual secretário de Segurança Pública do Estado, Gustavo Garcia, integra a organização criminosa investigada.

 

A informação consta no documento encaminhado no mês de setembro para o desembargador do Tribunal de Justiça, Orlando Perri. Agora, o caso tramita sob relatoria do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell.

 

Quando o documento foi enviado, o secretário Gustavo Garcia era secretário-adjunto de Inteligência da Sesp.

 

"A participação do delegado Gustavo Garcia tem se revelado diferente, iniciando as suspeitas de que também integra a organização criminosa, e não somente mantém vínculo de amizade e subordinação”, afirmou a delegada.

 

Gustavo Garcia assumiu o comando da pasta desde que o ex-secretário Rogers Jarbas, foi preso  no dia 27 de setembro, durante a deflagração da Operação Esdras.

 

Rogers é suspeito de ter ajudado a montar uma estratégia para atrapalhar as investigações dos grampos que ganhou repercussão nacional.

 

No esquema viabilizado pela prática da ‘barriga de aluguel’ vários números de telefones de cidadãos comuns foram inseridos para quebra de sigilo.

 

Gustavo é apontado de ter participado na obtenção do depoimento da delegada Ana Cardoso. Ela afirmou que foi constrangida na oitiva feita por ele e por Rogers Jarbas no dia 26 de maio.

 

O depoimento foi motivado pelo fato de ela ter conduzido a Operação Forti, que interceptou a publicitária Tatiana Sangalli Padilha, ex-amante do ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, e a ex-assessora dele, Caroline Mariano dos Santos, pela suspeita de que haveria um plano contra a vida do governador Pedro Taques (PSDB).

 

No depoimento na Sesp, Alana relatou que Gustavo Garcia tremia as mãos e pedia para ela falar baixo “porque as paredes têm ouvidos”.

 

“Ela [Alana] fala que recebeu telefonemas do Dr. Gustavo Garcia na semana em que foi convocada a ir à Sesp prestar “esclarecimentos” (precedentes a esta convocação), deixando claro que havia uma manobra dos dois secretários de Estado para cooptá-la para o que aconteceu na sede daquela secretaria [...] Esse fato reforça a ação de recrutamento feita pelo Gustavo Garcia em desfavor de Alana Derlene”, finalizou Ana Feldner. (Com informações do Mídia News)”.

 

 

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Novembro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br