Cuiabá, 14 de Dezembro de 2018

INFRAESTRUTURA

Terça-feira, 11 de Setembro de 2018, 17h:58 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Fávaro atuará para ampliar malha ferroviária e transporte fluvial em MT

Da Redação

(Foto: Reprodução/Assessoria)

favaro radio 1.jpeg

 

Durante entrevista na manhã desta terça-feira (11), em Cuiabá, o candidato ao Senado, Carlos Fávaro (PSD), enfatizou a importância de investimentos na infraestrutura logística, especialmente na malha ferroviária, já que Mato Grosso conta apenas com um terminal no município de Rondonópolis. Segundo ele, é preciso cruzar o estado com ferrovias para garantir maior competitividade da produção mato-grossense.

 

“Nosso estado tem grande vocação para produzir soja, mas também para produzir outras culturas, como o milho, que tem baixíssimo valor agregado, corresponde apenas um terço do valor de um saco de soja, e esse preço somente pode ser corrigido com uma infraestrutura logística mais eficiente. Nos Estados Unidos a busca pelo Oeste foi feita pelos trilhos. Primeiro vinha a ferrovia e atrás vinham as pessoas colonizando as cidades, e nós estamos aqui há 30, 40 anos nessa espera”, afirmou.

 

Ele relembrou que, desde quando foi presidente da Aprosoja - Associação de Produtores de Soja e Milho do estado -, se empenhou no projeto da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que possibilitaria a ligação da região do Araguaia aos portos de São Luiz, no Maranhão. “Fizemos o projeto, a licença ambiental, mas não tínhamos recursos para fazer a obra, que ficou 10 anos a espera. Trabalhamos com o governo federal para que a renovação da outorga por mais 30 anos com a Vale do Rio Doce para outras ferrovias brasileiras pudesse financiar essa obra”, contou.

 

Entretanto, ele explicou que, quando o governo federal anunciou o investimento, o senador Jader Barbalho, buscou o Ministério da Casa Civil para que os recursos fossem investidos no Pará. “Ele estava correto, defendendo os interesses dos paraenses, mas depois de tanto trabalho para fazer o projeto, licenciar e liberar recursos nós iríamos perder pela força política? Mesmo não sendo mais vice-governador, eu não admiti, marquei audiência com o ministro Eliseu Padilha, pedi o apoio do ministro Blairo Maggi, do senador Welingthon Fagundes e garantimos a vinda desses recursos para o nosso estado”.

 

A obra, que prevê a construção de 383 quilômetros entre Água Boa e a cidade de Campinorte (GO), terá início em 2019, com recursos da ordem de R$ 4 bilhões. “Esse primeiro trecho que está licenciado dará acesso a carga de imediato, pela BR-158 na altura de Água Boa, atenderá toda Araguaia, e proporcionará um fluxo de grãos para a Ferrovia Norte-Sul”, informou ele.

 

Na entrevista, Fávaro também mencionou a falta de transporte fluvial no estado. “O mundo inteiro explora seus rios navegáveis como modo de transporte eficiente e com baixo custo, mas aqui parece que é vergonhoso, que é criminoso, mas não é, pois nós temos tecnologia para preservar os rios e transportar com eficiência. Os rios Paraguai, Araguaia, Teles Pires, Juruena poderiam estar gerando competitividade e riquezas para o estado. E o governo federal tem que ter coragem para fazer esses enfrentamentos e estou preparado para ter posicionamentos fortes na defesa dos interesses do nosso estado”.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Nov 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br