Cuiabá, 15 de Novembro de 2019

POLÍTICA
Sexta-feira, 27 de Setembro de 2019, 10h:11

NA MIRA DA PF

Ex-deputado é investigado por usar cartão corporativo da AL para comprar votos

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: AL-MT)

A Polícia Federal (PF) entrou com pedido de expedição no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para autorização de mandados de busca e apreensão e a quebra de sigilo do ex-deputado estadual, Baiano Filho (PSDB). O documento foi publicado no Diário de Justiça Eleitoral na quarta-feira (25).

Ele está sendo investigado por usar o cartão corporativo da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para conseguir votos. O pedido deve ser analisado pelo TRE.

Segundo a denúncia, o servidor vinculado diretamente no gabinete do então deputado, Ronair de Jesus Nunes, estaria utilizando frequentemente do cartão corporativo da Assembleia para abastecimento de veículos na “Rede Posto Amigo”, em Barra do Garças (a 516 km de Cuiabá).

“[...] estabelecimento no qual eram supostamente simulados abastecimentos de veículos mediante pagamento via cartão corporativo, cujos valores eram supostamente estornados em espécie, repassado posteriormente para eleitores previamente aliciados pelo referido Deputado Estadual, em Barra do Garças e região”, cita trecho do pedido.

De acordo com as investigações da Polícia Federal, no período eleitoral em outubro de 2018, o ex-parlamentar usou R$ 3.070,97, sendo 777,458 litros de diesel pagos pela Assembleia. Já Ronair, gastou o valor de R$ 5.699,94, totalizando 1.210,018 litros de combustível.

As investigações apontaram ainda que foram feitos vários abastecimentos com poucos segundos de diferença, outros na mesma data e/ou datas próximas, todos no mesmo posto de combustível. “o que demonstra indícios de fraudes nos abastecimentos”.

Sobre a quebra de sigilo telefônico dos dois investigados, a PF ressalta que tudo era combinado por meio de WhatsApp, o que se torna necessário para encontrar documentos, agendas, recibos, e-mails com anotações sobre abastecimentos e pagamentos de benefícios a eleitores, além de outras mídias.

“Nota-se que ao tempo da conduta ilícita (ano eleitoral de 2018), o investigado José Joaquim de Souza Filho (Baiano Filho) estava investido no mandato de deputado estadual. Além disso, o acesso o meio utilizado para a prática do crime (cartão corporativo da ALMT), somente foi possível em razão do cargo desempenhado pelo investigado à época, eis que era justamente o fato de ser Deputado Estadual em exercício que lhe conferia acesso ao cartão coorporativo da Assembleia Legislativa”, consta no processo.

O Única News tentou contato com o ex-deputado, mas não foi possível completar a ligação.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE