Cuiabá, 15 de Dezembro de 2019

POLÍTICA
Quinta-feira, 05 de Setembro de 2019, 17h:58

“NEGOCIAÇÃO DIFÍCIL”

Emanuel Pinheiro compara Mendes a Pedro Taques e diz que tudo tem limite

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Luiz Alves/Prefeitura de Cuiabá)

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), voltou a cobrar do governador Mauro Mendes (DEM), nesta quinta-feira (5), o montante de R$ 60 milhões que o Estado deve à Capital. Emanuel ainda comparou Mendes a Taques, dizendo que na gestão passada era mais fácil a comunicação entre prefeito e governador, em que mesmo parceladas ou atrasadas, as dívidas eram pagas.

"Tudo tem limite. Nós precisamos de uma resposta. São mais de R$ 60 milhões devidos pelo Estado. Pode pagar nem que seja em 10 vezes de R$ 6 milhões, mas Cuiabá precisa de uma resposta. A notificação vence hoje, vamos esperar", ressaltou.

O prefeito disse que não abre mão de um centavo que seja de Cuiabá e que não pode deixar o governo sobrecarregar a capital na saúde, sendo que há recurso.

“O recurso pertence a Cuiabá. Então, não vou abrir mão de nada que pertence a Cuiabá. Com o Taques [ex-governador] tinha mais facilidade de negociar e os recursos vinham, nem que fossem picados. Não posso deixar a saúde só nas costas da capital”, questionou Pinheiro.

Pinheiro voltou a dizer que os dois não precisam ser "amigos" ou sentar todos os dias para "beber uma cerveja", mas que é preciso ter apenas uma relação institucional.

Por fim, o gestor cuiabano disse que está pronto para sentar e dialogar com Mauro Mendes para receber uma proposta sobre o pagamento da dívida, evitando sobrecarregar a Capital.

Ele garantiu que continuará cobrando até que seja pago o que é de direito e que tudo tem que ser feito de maneira profissional e não levar em conta a falta de “amizade”. “Já deixei claro para o Mendes que estou paz e amor”.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE