Cuiabá, 15 de Outubro de 2018

ISTO É

Domingo, 15 de Abril de 2018, 11h:33 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Discussão na AL entre Janaina Riva e Wilson ganha repercussão nacional

Da Redação

(Foto: Reprodução/Ilustração)

janaina e wilson.jpg

 

Nota veiculada pelo jornalista Rudolfo Lago, na IstoÉ sobre uma discussão no plenário da Assembleia Legislativa, em Mato Grosso, entre os deputados estaduais Wilson Santos (PSDB) e Janaina Riva (MDB), ocorrida no último dia 10 de abril, deu visibilidade nacional aos parlamentares. 

 

Perspicaz e de respostas rápidas, a parlamentar conseguiu silenciar um dos parlamentares mais bem preparados da Assembleia, o professor e deputado tucano, Wilson Santos, até pouco tempo no comando da Secretaria de Estado de Cidades.  

 

O embate começou após o tucano assegurar que entregaria o seu mandato, se realmente tivessem ocorridos desvios na ordem de R$ 56 milhões na Secretaria de Estado de Educação, no esquema investigado pela operação Rêmora. E ainda que a deputada renunciasse ao seu mandato se não pudesse comprovar os desvios na Seduc. 

 

No entanto, a operação chegou a levar o secretário Permínio Pinto, também do PSDB, para a cadeia, após a constatação dos desvios - segundo o Ministério Público estadual -, milionários em licitações de construção e reformas de escolas no Estado. Além dele foram presos empreiteiros, servidores e empresários. 

 

O embate ganhou somoridade, quando da tribuna, a deputada disparou 'que não se abdicaria do seu mandato, porque ele não lhe pertencia, mas a 48.171 mato-grossenses'. E, sobretudo, porque não era ela quem afirmava sobre a quantia, mas as investigações que apontaram por diversas vezes, sobre a soma roubada dos cofres públicos. Esquema, aliás, que culminou com a delação do empresário  Giovani Guizardi, que entregou paripassu como todo o processo era operado dentro da secretaria. E já com outra delação a caminho, do empresário Alan Malouf, que chegou a depor que o dinheiro desviado era uma forma de repor os R$ 10 milhões que ele teria colocado na campanha de 2014, do governador Pedro Taques.

 

Assim, após rememorar detalhes da operação, a deputada devolveu o desafio para o colega de Parlamento, dizendo se ele entregaria o mandato, caso ficasse provado, ao final da investigação, o rombo deixado pelo esquema na Seduc.

 

'Eu o desafio. Se homologou a delação do [empresário] Alan Maluf no STF como se comenta, de que seu governador recebeu dinheiro das mãos dele, de caixa 2, ou seja, de que se governador sabia, aí, sim, eu, se fosse líder, renunciaria, porque teria vergonha de ter defendido com tanto afinco um Governo que está denunciado por tantos esquemas', respondeu.

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Setembro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br