Cuiabá, 21 de Novembro de 2017

APÓS DECISÃO DE PINHEIRO

Segunda-feira, 13 de Novembro de 2017, 10h:45 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Deputado diz que devolver pacientes é oficializar caos na Saúde em MT

Marisa Batalha

(Foto: Reprodução/Web)

Deputado Xuxu Molin-Sorriso.jpg

 

Neste último domingo (12), uma nota do deputado federal, Éderson Xuxu Dal Molin (PSC), de Sorriso, que assumiu a vaga do deputado Adilton Sachetti (sem partido), foi postada em vários grupos de jornalistas da Capital, por meio do WhastApp e enviada no mailing do Site Única News. 

 

De acordo com a nota, Xuxu lamentava o fato do gestor da Capital, o peemedebista Emanuel Pinheiro, tomar a decisão de devolver pacientes ao interior, sob a justificativa de superlotação no Pronto Socorro e ainda pela falta de recursos, resultado da crise econômica brasileira que 'pegou de jeito' Cuiabá.

 

O parlamentar lembrou que Cuiabá é uma referência no Estado em várias áreas da Saúde. Assim, com a decisão de devolver pacientes aos municípios de origem, 'ficam perigosamente reduzidas as possibilidades de tratamento de quem está precisando e às vezes com urgência'.

 

Molin ainda lembrou que recentemente comemorou a decisão da bancada federal que aprovou R$ 156 milhões para a Saúde, por entender que esta é uma área que deve ser prioridade número 1 de qualquer gestor público. No entanto, se posicionou contra a decisão de Pinheiro, apontando que a Capital não pode ser transformada em uma ilha, enquanto o interior agoniza!

 

Se respaldando na ideia que 'que uma pessoa doente busca ajuda para se curar seja onde for. Pois qualquer mato-grossense tem o direito de tentar salvar a sua vida ou de seu familiar. Assim, claro, sou a favor do novo Pronto Socorro, porém se a saúde do interior não funcionar, Cuiabá ainda precisa ser a saída para salvar vidas', puntua Xuxu.

 

Na nota, o deputado social cristão pede a compreensão do 'prefeito Emanuel Pinheiro, à Câmara de Vereadores, aos profissionais da saúde, até a cuiabania para que possa ser selado um pacto em favor da Saúde Pública'. Ainda convocando o Estado, a quem reputa a maior responsabilidade pelas dificuldades, além dos hospitais filantrópicos e os  Consórcios de Saúde, para juntos encontrarem uma saída definitiva para essa questão. Sob a alegação inclusive que se não houver uma alternativa que atenda a todos, o caos na Saúde vai prejudicar a camada mais humilde da população e, sobretudo, dividir as entidades políticas em suas respectivas bases.

 

'Meu domicílio, Sorriso, possui o Hospital Regional (HRS) que atende 15 municípios da região, mais os milhares de pacientes que vem do Sul do Pará. Esse hospital enfrenta inúmeros problemas desde os mais simples como elétricos e com várias goteiras por toda a unidade. E também aguarda há oito anos a obra de construção da nova cozinha, que não custa mais de R$ 200 mil e não consegue executar esta melhoria. Assim, percebo que mesmo que tenha me envolvido nestas questões, percebo que pouco foi feito'. 

 

O deputado federal, Éderson Xuxu Dal Molin (PSC),  assumiu a vaga de Sachetti, atualmente sem partido. Anteriormente já havia assumido a cadeira na Câmara Federal, ao substituir o deputado Victório Galli (PSC).

 

O primeiro suplente da vaga é José Augusto Curvo, o Tampinha (PSD), que exerce o cargo de assessor especial do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação Gilberto Kassab (PSD).Assim, o mandato temporário ficou livre  para Xuxu.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br