Cuiabá, 14 de Novembro de 2018

DESCUMPRIMENTO E IRREGULARIDADES

Terça-feira, 10 de Janeiro de 2017, 08h:11 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

“Comigo a CAB não fica”, afirma novamente Emanuel Pinheiro

Em novembro de 2016, o ex-prefeito Mauro Mendes (PSB), convocou uma coletiva de imprensa para apresentar um relatório de seis meses com base no levantamento do trabalho prestado

Karollen Nadeska / Única News

 

 

Foto: Roger Perisson

Emanuel PInheiro

Prefeito eleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), em entrevista exclusiva à Revista Única e site Única News

O prefeito eleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), afirmou nesta segunda-feira (09), que não há possibilidades de manter o contrato com a Companhia de Águas do Brasil (CAB Ambiental). Segundo o gestor, a empresa agiu de maneira irregular desde que assumiu os serviços.

 

 

Comigo a CAB não fica. Porque ela descumpriu uma cláusula contratual e não iniciou os investimentos que Cuiabá tanto precisa, como a universalização e o saneamento básico, a partir de maio de 2015”, afirmou o peemedebista em entrevista exclusiva ao Única News.

 

 

Em novembro de 2016, o ex-prefeito Mauro Mendes (PSB), convocou uma coletiva de imprensa para apresentar um relatório de seis meses com base no levantamento do trabalho prestado. Na ocasião, Mendes salientou que houve uma melhora em vários setores administrativos da empresa e que por conta disso não descartaria a extinção do contrato.

 

 

Questionado, sobre a medida do antecessor socialista, Emanuel Pinheiro – que deixou o mandado de deputado para assumir o comando do Palácio Alencastro – disse que a avalia o impasse como uma “engenharia jurídica e administrativa” e salientou ainda que é necessário “tomar pé da situação” para direcionar os novos caminhos.

 

 

Eu determinei por decreto uma verificação por conformidade com relação a todo esse processo da CAB que a equipe de transição não teve acesso. Porque ela foi toda essa engenharia jurídica e administrativa, construída pelo legislativo e o ex-prefeito Mauro Mendes e consolidada após as eleições, em dezembro. Então eu não conheço esse processo, preciso conhecer”, explica.

 

 

Oportuno e firmes nas palavras, Mendes ainda frisou, que a “novela com a CAB” seria interrompida por um “novo capítulo”, ao qual integraria ao elenco, prazo determinante de 18 meses para investimento emergencial, cuja quantia ultrapassasse o valor de R$ 204 milhões. O contrato ficou sujeito ainda há outra penalidade, como a saída do Grupo Galvão – entre os associados – para a entrada da empresa RK Partneres Assessoria Financeira e Gestão de Recursos Ltda.

 

 

Em relação ao decreto, Pinheiro contou ao Única News que terá 90 dias para avaliar a situação da pasta e posteriormente entrar com um novo recurso, passível de ser até um rompimento.

 

 

Eu preciso avaliar com base no interesse público e no compromisso que eu tenho com a população para embasar na decisão tomada. Então eu dei 90 dias para tomar pé da situação e saber como está e o que aconteceu ao conhecer a fundo essa engenharia jurídica e administrativa”, conclui.

 

 

A licitação para concessão da empresa foi judicialmente cancelada em julho do ano passado, em função da juíza Célia Regina Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular da Capital, atender a uma ação impetrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Saneamento Ambiental de Cuiabá (Sintaesa), em que ficou provado o mal feito e o direcionamento no edital de licitação.

 

 

Leia também - http://unicanews.com.br/cidades/prefeitura-mantem-contrato-com-a-cab/6879

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br