Cuiabá, 14 de Outubro de 2019

POLÍTICA
Domingo, 15 de Setembro de 2019, 12h:30

EXCLUSIVO

Ações prioritárias e cidadãos carentes serão foco do trabalho, diz primeira-dama Virginia Mendes  

 Entre as metas, estão ações no atendimento a pessoas em situação de extrema pobreza, de risco social e trabalho voltado à emancipação profissional.

Aline Almeida (REVISTA ÚNICA)

Virginia Mendes.jpg

 

Virginia Raquel Taveira e Silva Mendes Ferreira é cuiabana, nascida em 31 de maio, casada há 24 anos com o atual governador de Mato Grosso, Mauro Mendes Ferreira, com que tem três filhos: Ana Carolinne, Luis Antônio e Maria Luiza. Bacharel em Economia, é sócia-administradora na empresa Bimetal, com forte atuação na área econômica e diversas contribuições na área social, tanto no poder público como na iniciativa privada.

Enquanto primeira-dama de Cuiabá, Virginia Mendes se dedicou de forma voluntária às famílias, em especial crianças e idosos em situação de vulnerabilidade social e a diversos projetos e ações voltados à assistência social, educação e saúde, com destaque para o Siminina, com a ampliação da rede de atendimento e melhoria dos serviços prestados pelo programa.

Na condição de primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes tem, ao lado do governador Mauro Mendes, buscado desenvolver ações voltadas à melhoria da qualidade de vida da população mato-grossense nas mais diversas áreas, com foco na ascensão e proteção das famílias.  

 

Única - Fale um pouco sobre este desafio, que é ser a primeira-dama de Mato Grosso, principalmente neste cenário em que a situação econômica não é animadora.

Virginia Mendes - Minha atuação como primeira-dama de Mato Grosso, ao lado do governador Mauro Mendes, é no sentido de colaborar, de forma voluntária, na condução das ações e projetos sociais do governo. Em tempos de dificuldades financeiras e orçamentárias, estamos buscando, por meio de parcerias, abraçar importantes causas. Iniciamos o ano com uma situação econômica muito complicada, com dívidas estimadas em R$ 4 bilhões, deixadas pela administração anterior, décimo terceiro sem pagar, muitos fornecedores também em atraso. Não é um cenário fácil. Por conta disso, temos que ser criativos e buscar parcerias, focar em ações prioritárias e fazer uma gestão do recurso público de forma eficiente. É desta forma que tenho procurado atuar, sempre em parceria e focando no cidadão mais carente.  

Única – A senhora não aceitou comandar uma secretaria de Estado devido aos negócios da família e aos filhos, mas está bem atuante no Governo. Como está conciliando estas demandas?

Virginia Mendes - Graças a Deus eu conto com valiosos colaboradores, tanto nas empresas, quanto no Governo e na minha residência. Sem estes anjos na minha vida não seria possível dividir o tempo entre tantos afazeres. Como todos sabem, tenho três filhos e estou à frente dos negócios, uma vez que Mauro está afastado, mas eu tenho procurado dividir o tempo para dar atenção a todos estes setores. Não é fácil, mas é possível, pois quando se quer fazer, a gente arruma tempo, a gente prioriza.  Agradeço muito o apoio que tenho dos meus dois filhos mais velhos, Ana Carolinne, pela compreensão, e o Luis Antônio, que mesmo estudando e morando em São Paulo, me ajuda bastante nas empresas. A Maria Luiza é bebê ainda e procuramos sempre priorizar os compromissos em família. Eu gosto de buscá-la na escola, almoçar com ela e por isso optei por não assumir um cargo no Governo, para poder dar atenção mais de perto aos meus filhos.   Também tenho que agradecer muito nossos colaboradores nas empresas, minha equipe no Governo, na Unidade de Ações Sociais e Atenção à Família (UNAF), a nossa secretária de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Carvalho, que é muito dedicada e uma parceira de primeira hora, além de todos os demais secretários de Estado. Temos um grande trabalho pela frente. Tenho certeza de que, com Deus no comando e engajamento de todos, faremos a diferença pelo social de Mato Grosso.    

Virginia Mendes2.jpg

“Defendemos o combate à violência doméstica, com ações e parcerias propositivas, que vão resultar na entrega do primeiro Plantão 24 Horas de atendimento às mulheres vítimas de violência, já em obras, com previsão de entrega em setembro. Há muitas mulheres sendo mortas e isso também não pode ficar para depois. É preciso agir e rápido”, destaca a primeira-dama de Mato Grosso.  

  

Única - A senhora, como esposa e primeira-dama, com certeza deve orientar o governador. Quais áreas, em sua opinião, precisam ser mais trabalhadas?  

Virginia Mendes - Conversamos muito sobre tudo, Mauro gosta de ouvir minha opinião e na nossa família isso sempre foi um hábito. Nós trocamos informações, ideias e é sempre muito produtivo, pois cada um colabora com uma ideia. Acredito que todas as áreas são essenciais, não tem como você falar que uma área é mais importante que outra, porém há questões que são emergenciais, eu vejo assim. Por exemplo, no caso da reabertura da Santa Casa, em que de fato pedi muito ao Mauro que, junto com sua qualificada equipe na Secretaria de Estado de Saúde (SES), comandada pelo secretário Gilberto Figueiredo, buscasse uma solução, pois estamos falando de vidas, de saúde e isso não pode ser deixado para depois.   Outra bandeira que também defendemos é o combate à violência doméstica, com ações e parcerias propositivas que vão resultar na entrega do primeiro Plantão 24 Horas de atendimento às mulheres vítimas de violência, já em obras, com previsão de entrega em setembro. Há muitas mulheres sendo mortas e isso também não pode ficar para depois. É preciso agir e rápido.   Também considero o atendimento no social para as famílias mais carentes, para aqueles que estão abaixo da linha de pobreza, uma área essencial e tenho atuado também diretamente ao lado da secretária Rosamaria, da Setasc, para promover o desenvolvimento de importantes ações no atendimento destas pessoas em situação de extrema pobreza, em situação de risco social e voltada à emancipação profissional.   Estes são apenas alguns exemplos. Além do que citei, temos a Educação, o Meio Ambiente, a Cultura, a Segurança. Todas as áreas precisam de atenção e são importantes.  

Única – Virginia, na administração municipal a senhora encontrou totalmente sucateado o projeto Siminina. A senhora teve uma grande atuação para a reestruturação do mesmo. Algum projeto vem sendo desenvolvido no âmbito estadual desta envergadura?  

Virginia Mendes - Realmente, quando assumimos o Siminina na gestão municipal, em 2013, encontramos o programa bem sucateado. Com muito trabalho e com a ajuda de inúmeros parceiros e da equipe maravilhosa que tínhamos à frente do programa, entregamos um Siminina totalmente reformulado. Conseguimos ampliar em mais de sete vezes o atendimento do projeto, aumentando as vagas de 198 para 1.418 meninas beneficiadas. E este trabalho virou referência. Inclusive fomos procurados para apresentar o que fizemos à frente do Siminina para a esposa do presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, Cinthya Padilha.   Sou muito grata a toda a equipe, em nome da Rosamaria, que era a coordenadora na época da nossa gestão. Até hoje sinto saudades das meninas. Quero aqui aproveitar para parabenizar também o ex-prefeito Roberto França e a ex-primeira-dama Iraci França, que foram os idealizadores do programa Siminina e fizeram um trabalho maravilhoso também.   No Estado, também estamos formatando importantes programas sociais com foco nas crianças, nas mulheres, nos jovens, nos idosos, nas pessoas com deficiência e nos demais públicos em situação de vulnerabilidade. Teremos não só um, mas vários programas sociais da mesma envergadura do Siminina.   Recentemente tivemos uma importante conquista, que foi a aprovação do Fundo de Apoio às Ações Sociais de Mato Grosso (FUS/MT), uma conquista nossa e que busquei como referência o Fundo Social de São Paulo. Visitei algumas vezes e tive a oportunidade de trocar informações com a primeira-dama, Bia Dória. O objetivo Fundo é investir mais recursos financeiros em ações sociais que vão impactar diretamente na melhoria da qualidade de vida das famílias mato-grossenses.  

Única – Por falar em projetos sociais, como estava este cenário em Mato Grosso quando esta nova administração assumiu? Tínhamos projetos interessantes? O que já caminhou nestes primeiros meses de governo nesta área?  

Virginia Mendes - Tive a oportunidade de participar ativamente do processo de transição de governo e, mesmo antes de assumirmos, já sabíamos que encontraríamos um cenário de muitas dificuldades, poucos recursos disponíveis, poucos projetos sendo executados. O primeiro passo foi de “arrumar a casa” e paralelo a isso buscar novas fontes de investimentos, como já citei em relação à criação do FUS/MT. Não acho necessário ficarmos olhando para o retrovisor, nem ficar elencando o que não foi feito. Este não é o perfil da gestão Mauro Mendes. Estamos aqui para avançar, melhorar e, principalmente, fazer funcionar o que já existia.   Muitas coisas já avançaram nestes oito meses. Já realizamos importantes ações e, apenas para citar algumas, podemos destacar a obra da primeira delegacia 24 horas de atendimento às mulheres vítimas de violência, a reabertura da Santa Casa, totalmente reformada e equipada, com novos equipamentos, novas brinquedotecas, uma ala pediátrica novinha. Também conseguimos entregar 100 mil cobertores aos 141 municípios. Estamos fazendo cursos de qualificação profissional e já temos várias outras ações programadas para os próximos meses como, por exemplo, a semana estadual em prol da pessoa com deficiência, com o primeiro desfile inclusivo de pessoas com diferentes tipos de deficiência. Vamos levar palestras, atendimentos jurídicos e psicossociais para os bairros de Cuiabá, Várzea Grande e para o interior, com foco no combate à violência doméstica. Temos dois ônibus equipados para isso e vamos percorrer os locais com maior incidência de casos de violência. Estamos trabalhando também com o empreendedorismo e recentemente estive em Recife, participando da maior feira de artesanato da América Latina, com foco em trocar experiências e implementar em Mato Grosso ações visando o desenvolvimento econômico dos artesãos, preservando nossa riqueza e diversidade cultural. Outro projeto que já estamos trabalhando é com o Natal, para proporcionar algo nunca visto aqui em termos de cenários e atrações. Tem muita coisa acontecendo e com certeza a população já está percebendo estes avanços e melhorias.

Virginia Mendes3.jpg

“Temos que ser criativos e buscar parcerias, focar em ações prioritárias e fazer uma gestão do recurso público de forma eficiente. É desta forma que tenho procurado atuar, sempre em parceria e focando no cidadão mais carente”, avalia Virginia Mendes.

 

Única – A senhora chegou a ser homenageada por uma etnia indígena com o título de madrinha. O que isso representa? Quais tipos de projetos precisam ser desenvolvidos com os índios e do que eles mais carecem?  

Virginia Mendes - Na verdade, foram duas, a Paresi e a Xavante, e quero aproveitar a oportunidade para agradecer pelo carinho e pelo reconhecimento destas duas etnias. Confesso que sou encantada pela cultura indígena e tenho me colocado à disposição para ajudá-los em suas demandas. As principais solicitações são para o incentivo à produção agrícola e mais atenção do Estado para os cuidados na área de saúde indígena. Tenho atuado junto às áreas competentes reivindicando mais apoio. Até o final do ano vamos fazer o primeiro mutirão indígena, levando serviços de emissão de documentos, atendimentos na área de saúde e educação para várias comunidades, numa ação inédita promovida pelo Governo.  

Única - Vivemos uma realidade muito assustadora: mulheres sendo vítimas de violência doméstica todos os dias. Muitas delas acabam se sujeitando a continuar neste ciclo devido à dependência financeira. Que ações estão sendo desenvolvidas para acabarmos com este ciclo de violência e consequentemente dar oportunidades às mulheres?  

Virginia Mendes - É preciso atuar nas duas frentes: na prevenção e no apoio. A prevenção se dá principalmente na emancipação dessas mulheres, para que elas saiam da condição de dependência desses agressores e possam trilhar uma nova história com seus filhos, com oportunidade de emprego e renda. E neste sentido, temos buscado ofertar cursos de qualificação para mulheres em situação de risco. Também estamos levando informação e orientação para que elas saibam que existe uma Lei a favor delas, a Lei Maria da Penha. É preciso denunciar, quebrar o ciclo de violência e essa conscientização nós também estamos fazendo.   A outra frente de atuação é fortalecer a rede de proteção a essas mulheres. E neste sentido, vamos entregar o primeiro Plantão 24 Horas de atendimento à violência doméstica e familiar, no mês de setembro. Me sinto honrada em poder realizar esta ação e quero aqui fazer um registro especial a todas as mulheres que sempre batalharam em prol desta causa, que sempre buscaram tirar do papel este importante projeto. E faço isso em nome da Coordenadoria Estadual do Núcleo da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher) do Tribunal de Justiça. Para a obra da Delegacia, tenho realizado, ao lado de importantes parceiras, ações em prol de arrecadar recursos. No mês de março, junto com a loja Corpo e Arte, da empresária Silvia Lino, e com estilista Martha Medeiros, realizamos um leilão beneficente e conseguimos arrecadar mais de 100 mil reais. Agora em setembro, em parceria com a loja Vila Konceito, da empresária Karine Roder, estamos vendendo rifas e 100% do recurso também vai para esta obra. Aproveito para agradecer aos estilistas Patricia Bonaldi, Fabiana Milazzo, Marcelo Quadros e a Lolitta, que doaram, cada um, uma peça como prêmio da rifa solidária.   Este é apenas o início de uma luta que pretendemos defender e travar a favor das mulheres em todas as regiões do nosso estado.  

Única - Também em relação à mulher, temos como realidade que, apesar da conquista de espaços, ainda continua larga a diferença em relação aos homens, principalmente quanto ao mercado de trabalho. O que ainda precisamos avançar para mudar este fato?  

Virginia Mendes - Essa é uma luta histórica. A Legislação Brasileira que garante a igualdade salarial entre homens e mulheres na CLT é de 1943. E foi fruto de muita luta. Contudo, sabemos que ainda há desigualdades salariais, mesmo quando homens e mulheres exercem a mesma função. A meu ver, é preciso ampliar a participação das mulheres em todas as áreas e fazer valer o cumprimento das leis. Temos sim que reforçar as políticas públicas voltadas à igualdade entre homens e mulheres.  

Única – Um importante passo para saúde foi dado com a reabertura da Santa Casa. Quais demandas esta unidade vai suprir? Na área da saúde, podemos chegar ao fim da judicialização e termos a garantia de tratamento digno?  

Virginia Mendes - A reabertura do Hospital Estadual Santa Casa foi uma grande conquista para a saúde pública do Estado de Mato Grosso. Eu estou imensamente grata por ter tido a oportunidade de participar diretamente disto. Todas as transformações da ala pediátrica do Hospital foram fruto de uma ação solidária, que realizamos no final do mês de maio – dia do seu aniversário –, no evento beneficente “Aniversário Solidário”, quando reunimos centenas de parceiros, amigos, autoridades e colaboradores. Foram arrecadados quase 400 brinquedos e diversos eletrodomésticos, como, por exemplo, 28 televisões, 22 frigobares, um ar-condicionado de 60 mil btus, além de sete mesas interativas repletas de jogos, aplicativos e recursos digitais para as crianças. Foi feita ainda toda a ambientação nas paredes e nos corredores, que ganharam cores vivas e alegres, com desenhos lúdicos e inspiradores, obra do meu querido amigo, o artista plástico Rafael Jonnier. Além disso, os quatros foram também ambientados com lindos adesivos, alegres e com temas infantis. Foram montadas três brinquedotecas com mobiliário, brinquedos, mesas digitais com jogos e aplicativos. Tudo para que as crianças que estiverem em tratamento tenham um acolhimento digno e possam se recuperar ainda mais rápido.   Eu tive a ajuda de centenas de pessoas para isso. Foram mais de 300 parceiros, entre amigos, familiares, empresários e sociedade em geral. Agradeço imensamente de coração a todos que nos ajudaram nesta ação. Não tenho nem palavras para agradecer.   Sobre a retomada dos atendimentos no Hospital Estadual Santa Casa, foi dividida em duas etapas. Na primeira fase, já estão sendo atendidos os pacientes em tratamento contra o câncer, de nefrologia e na ala infantil. Já na segunda etapa, a unidade passará a ofertar mais serviços à população, atendendo também nas áreas de Cardiologia, Vascular, Ortopedia Pediátrica, Neurocirurgia Pediátrica e cirurgias gerais de média complexidade. Ofertará também Serviços de Apoio e Diagnóstico Terapêutico (SADT), como Tomografia, Raio-X, Ultrassonografia, Densitomestria Óssea, Cateterismo, Ressonância para crianças, hemoterapia, exames laboratoriais clínico e de anátomo-patológico (usado para o diagnóstico preciso de doenças).   Mesmo com todos os esforços, não é possível dizer que o Hospital Estadual Santa Casa sanará todos os problemas da saúde pública de Mato Grosso. O fim da judicialização passa pela restruturação de toda rede de saúde estadual, principalmente com o fortalecimento dos hospitais regionais para que as demandas do interior do Estado sejam supridas nos próprios polos regionais, sem sobrecarregar as unidades de saúde da capital. É preciso dar as mãos, Governo Federal, Estado e municípios, e olhar a saúde com toda prioridade que ela merece.  

Virginia Mendes4.jpg

“O fim da judicialização passa pela restruturação de toda rede de saúde estadual, principalmente com o fortalecimento dos hospitais regionais para que as demandas do interior do Estado sejam supridas nos próprios polos regionais, sem sobrecarregar as unidades de saúde da capital. É preciso dar as mãos, Governo Federal, Estado e municípios, e olhar a saúde com toda prioridade que ela merece”, afirma Virginia Mendes.

Única – A senhora tinha confirmado a realização de um pente-fino no Pró-Família. Foi iniciado? Em que fase está? Este programa é de fato importante?  

Virginia Mendes – Sim. Assim que assumimos, pedimos que a Controladoria Geral do Estado realizasse uma auditoria no programa. E após a apresentação dos resultados no gabinete do governador, com a minha presença, da secretária Rosamaria, do controlador geral, Emerson Hayashida, a Setasc já formulou um Plano de Ação para sanar as inconsistências apontadas na auditoria.   O Programa Pró-Família beneficia, atualmente, 22.489 pessoas em Mato Grosso e, entre as medidas, está a atualização cadastral de todos os beneficiários, comprovando sua regularidade no programa; seu endereço e todas as informações in loco. A equipe da Secretaria já está indo até os cidadãos cadastrados para checar tudo. Essas visitas já começaram e o governador determinou um prazo de 120 dias para que os cadastros sejam atualizados e revisados.   Também será feita a aquisição e utilização de um software próprio para gerenciar o cadastro, bem como as atualizações, permitindo maior controle e agilidade na gestão do programa. Já realizamos uma reunião com os proprietários da empresa Vale Card, responsável pela gestão dos cartões, para promover melhorias e ampliar a segurança.   Acreditamos ser de suma importância o atendimento às famílias mato-grossenses que se encontram em situação de extrema pobreza ou em vulnerabilidade social e buscamos, neste momento, aprimorar o programa para que ele, de fato, beneficie pessoas em situação de extrema pobreza e que precisam deste dinheiro para comer e sobreviver. Somos muito sensíveis a isto, pois a fome é algo muito duro e não podemos deixar estas pessoas desassistidas.  

Única - Qual será a marca desta nova gestão?  

Virginia Mendes - Conhecendo Mauro Mendes como conheço bem, a marca dessa gestão será resultado com trabalho sério e honesto, sem deixar de lado valores como família e fé, pois sem Deus não somos nada. Outra característica que ele possui é a de ser cumpridor de sua palavra, honesto e sincero no trato com as pessoas, sem enrolação e sem prometer coisas que não poderá cumprir.  

Única - Por trás de todo grande homem sempre tem uma grande mulher. Esta frase cabe a Mauro e Virgínia?  

Virginia Mendes - Não digo atrás, mas sim ao lado. Desde que nos conhecemos, nos casamos e decidimos, com as bênçãos de Deus, formar nossa família, termos nossos três filhos, Ana Carolinne, Luis Antônio e Maria Luiza, que são nossas riquezas maiores, temos construído nossa história, lado a lado. E assim é nas empresas e foi assim quando ele assumiu a presidência do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), por dois períodos. Na política, esse é um sonho pessoal do Mauro, mas que eu, como companheira e esposa, não poderia deixar de estar próxima, pois ele é um marido e um pai maravilhoso e acho justo também que ele conte comigo ao lado dele e eu me esforço bastante para acompanhá-lo. Foi assim na Prefeitura de Cuiabá, também atuei de forma participativa, e agora no Governo de Mato Grosso. Sempre estarei ao lado dele e dos meus três filhos. Preciso registrar aqui que sou abençoada pela família que Deus me deu e só tenho a agradecer. Ana, Luis e Maria, vocês são minha fonte de energia, minha luz e meus amores eternos.  

 

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE