Cuiabá, 23 de Junho de 2018

BARBARIDADE;VEJA VÍDEO

Quarta-feira, 06 de Junho de 2018, 08h:08 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Recém-nascida é resgatada após ser enterrada viva pela família indígena

Claryssa Amorim

(Foto: Polícia Militar)

WhatsApp Image 2018-06-06 at 07.55.38.jpeg

 

Uma bebê recém-nascida com menos de 24 horas de vida foi resgatada após ser enterrada viva, nesta terça-feira (4), em Canarana (a 838 km de Cuiabá). Segundo a Polícia Militar, a bebê vem de família indígena e a mãe, de 15 anos, teria relatado que acreditou que ela estivesse morta. 

 

A polícia informou que recebeu denúncia anônina de que a família teria enterrada viva uma bebê. A família é da etnia de uma das 19 que vivem no Parque Nacional do Xingu. 

 

Conforme ainda a polícia, quando chegaram no quintal, ouviram o choro da criança e começaram a cavar. A índia recém-nascida estava enterrada em uma cova de 50 centímetros de profundidade.

 

 

A família indígena ainda relatou o que teria feito à polícia quando chegaram dizendo que havia enrolada a bebê em um pano e enterrou acreditando que estava morta. A avô que ajudou a mãe enterrar a menina, indicou o local que havia enterrado o bebê. 

 

A mãe da criança disse que começou a sentir contrações e foi para o banheiro. Ela estava sozinha no banheiro e teve a criança em parto normal.

 

A polícia informou ainda que ao dar à luz no banheiro, por volta de 12h, a mãe não teria conseguido segurar o bebê e ela caiu no chão. Com isso, a mãe acreditou que a criança teria morrido. 

 

A denúncia foi registrada por volta das 16h, porém, a polícia chegou ao local às 21h.  A criança foi levada às pressas por uma ambulância para o hospital da cidade. Ela recebeu oxigenação e começou a ser atendida na unidade de saúde.

 

A mãe e a avó da criança foram levadas para a delegacia onde prestaram depoimento à Polícia Civil. O bebê foi transferido de Canarana para o Hospital Regional de Água Boa, a 736 km de Cuiabá.

 

Na unidade hospitalar, o bebê passou por um exame de raio-X que apontou duas fraturas na cabeça.

 

Uma investigação foi aberta na Polícia Civil de Canarana. Os policiais tentam identificar quem foi a pessoa que enterrou a criança. Até a manhã desta quarta-feira (6), nenhuma pessoa havia sido presa ou identificada.

 

Veja o vídeo:

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Maio 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br