Cuiabá, 19 de Novembro de 2018

DANILO CAMPOS

Quinta-feira, 09 de Agosto de 2018, 19h:00 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Pivô da morte do personal diz que ex-marido planejou assassinato por meses

Da Redação

(Foto: Reprodução)

Personal.jpg

 

O pivô da morte do personal trainer Danilo Campos, a empresária Ane Lise Hovoruski, disse em depoimento que seu ex-marido Guilherme Dias de Miranda, planejou por três meses o assassinato de Danilo. 

 

A declaração foi dada nesta última terça-feira (7), no Fórum, em Foz do Iguaçu (PR).

 

Danilo foi assassinado com pelo menos cinco tiros após sair da academia onde trabalhava, no bairro Duque de Caxias, em novembro de 2017 . Ele era filho do vereador de Várzea Grande, Nilo Campos (DEM).

 

Conforme relatos de Ane, ela disse que conheceu Danilo em um show sertanejo, bem antes de casar com Guilherme. O personal teria se afastado dela, quando ocorreu o casamento com o professor de capoeira. 

 

O pai de Danilo foi até Foz do Iguaçu e acompanhou a declaração da empresária. “Ele [Guilherme] casou e depois de cinco meses matou meu filho, ficou por meses ameaçando o Danilo”, disse o vereador.

 

Ainda segundo o depoimento, Guilherme planejou o assassinato com a ajuda de Walisson Magno de Almeida, acusado de atirar contra Danilo. 

 

“Eles [Guilherme e Walisson] mudaram a placa da moto com fita isolante e depois Wallison saiu para cometer o crime. Isso está no inquérito”, relatou o vereador.

 

O depoimento dela será encaminhado para a comarca de Cuiabá e faz parte da instrução processual do caso.

 

No dia 15 deste mês, Guilherme e Walisson vão prestar outro depoimento a Polícia Civil, em Cuiabá.

 

 

O crime

 

O personal trainer foi assassinado com cinco tiros à noite, no dia 8 de novembro, no bairro Jardim Cuiabá, próximo a uma distribuidora de bebidas. De acordo com testemunhas, Danilo Campos foi abordada por dois rapazes em uma motocicleta que atiraram contra ele. O homicídio foi registrado por volta das 22 horas.

 

Uma câmera de segurança de um estabelecimento comercial próximo ao local do crime, flagrou o momento em que o personal foi executado.

 

De acordo com as investigações, Ane Lise Hovoruski, de 29 anos, foi apontada como o pivô do caso. Ela foi presa no dia 20 de fevereiro na cidade de Foz do Iguaçú, no Paraná. Ane teria tido um relacionamento com a vítima, enquanto estava casada com o suspeito.

 

Quando ele descobriu o caso extraconjugal da mulher com o personal, teria ordenado e oferecido uma quantia entre R$ 5 mil e R$ 10 mil, para que Magno tirasse a vida de Danilo. Informações estas ditas por Ane, em seu depoimento à delegada responsável pelo caso Alana Cardoso.

 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2018

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br