Cuiabá, 23 de Novembro de 2017

“SALVE GERAL”

Segunda-feira, 06 de Novembro de 2017, 15h:48 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Mais de 11 mil detentos fazem greve de fome em presídios de MT

Daffiny Delgado

Ilustrativa

greve fome mt

 

Um "salve geral" foi anunciado na manhã desta segunda-feira (06), e que levou aos mais de 11 mil detentos a realizarem uma greve de fome nos 54 presídios do estado de Mato Grosso. Os detentos reivindicam melhorias na alimentação, atendimento médico e ressaltam a superlotação nas unidades.

 

O que pode ter inflamado a manifestação da população carcerária, seria o aumento considerável de presos com tuberculose dentro dos presídios. A greve de fome teve início neste domingo (05), e além de se negarem a se alimentar, os presos se recusam a sair das celas e também a irem nas audiências.

 

Nos bastidores a informação é de que a manifestação já atingiu as 54 unidades prisionais do Estado. No entanto, o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado (Sindspen), João Batista, afirmou que apenas sete aderiram a paralização até o momento.

 

“Até agora eu tenho a confirmação de sete unidades que aderiram à greve de fome, mas esse número deve aumentar com certeza. São eles: Penitenciária Central do Estado (PCE), o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC) e o presídio feminino Ana Maria do Couto, todos na Capital. Em Várzea Grande, a Cadeia Pública do Capão Grande e nas cidades de Campo Novo do Parecis, Comodoro e Lucas do Rio Verde também integram a greve de fome”, afirmou.

 

Ainda conforme Batista, a manifestação segue pacífica e sem riscos à segurança das unidades. Ele ressaltou ainda que o monitoramento nas unidades está sendo redobrado. “Eles se recusaram a receber a alimentação e devem seguir o ato sem data definida. Nossos agentes foram orientados a redobrar a atenção e monitorar toda a movimentação”, ressaltou.

 

No anúncio da greve compartilhado nas redes sociais a mando dos grevistas, os detentos reclamam da falta de dentistas, medicamentos e falta de oportunidade de trabalho. Eles denunciam ainda a transferência clandestina de presos e superlotação nas unidades.

 

“Informamos que está será uma manifestação pacífica, onde só voltaremos a normalidade após termos documentos assinados de garantia por parte dos órgãos competentes como tribunal de justiça, SEJUDH, OAB”, diz trecho de anúncio.

 

O sindicalista disse ainda que as reivindicações dos presos vem sendo tema de pauta do sindicato juntamente com o governo do Estado. “Nós não incentivamos a manifestação, mas o que eles reivindicam vem sendo tema de pauta da categoria juntamente com o governo. A situação nas unidades é precária”.

 

A Secretaria de Justiça afirmou por meio de nota que em todas as grandes unidades o quadro de profissionais relacionados a saúde é composto por, clínico geral, ginecologista, enfermeiro, técnico de enfermagem, psicólogo, assistente social, odontólogo, auxiliar de saúde bucal, farmacêutico e nutricionista. Além disso, a Secretaria de Estado de Saúde contratará médicos para repor e ampliar o quadro de médicos do Sistema Penitenciário.

 

A nota ressaltou ainda que o tratamento de tuberculose informamos que todos os reclusos diagnosticados com a doença recebem diariamente a medicação, mensalmente são pesados e são realizados os exames de baciloscopia de controle e avaliação clínica com intuito de acompanhar a evolução de cada paciente. Nos primeiros quinze dias de tratamento é recomendado o isolamento para não haver proliferação da doença para os demais reclusos e visitantes. Após esse período os reclusos recebendo tratamento de tuberculose e podem ter o contato normal com qualquer pessoa.

 

A Secretaria de Justiça afirmou por meio de nota que em todas as grandes unidades o quadro de profissionais relacionados a saúde é composto por, clínico geral, ginecologista, enfermeiro, técnico de enfermagem, psicólogo, assistente social, odontólogo, auxiliar de saúde bucal, farmacêutico e nutricionista. Além disso, a Secretaria de Estado de Saúde contratará médicos para repor e ampliar o quadro de médicos do Sistema Penitenciário.

 

A nota ressaltou ainda que o tratamento de tuberculose informamos que todos os reclusos diagnosticados com a doença recebem diariamente a medicação, mensalmente são pesados e são realizados os exames de baciloscopia de controle e avaliação clínica com intuito de acompanhar a evolução de cada paciente. Nos primeiros quinze dias de tratamento é recomendado o isolamento para não haver proliferação da doença para os demais reclusos e visitantes. Após esse período os reclusos recebendo tratamento de tuberculose e podem ter o contato normal com qualquer pessoa.

 

Integra da Nota:

 

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos informa que presos de algumas unidades do Sistema Penitenciário realizam parcialmente um movimento de ‘greve de fome’ e recusaram-se a receber o café da manhã e o almoço, fornecidos pelo Estado, nesta segunda-feira (06.11). O movimento dos presos é realizado de maneira pacífica. 

 

Em relação ao atendimento à saúde, esclarecemos que todas maiores unidades do Sistema Penitenciário possuem no próprio local equipes formadas por médico (clínico geral, ginecologista) enfermeiro, técnico de enfermagem, psicólogo, assistente social, odontólogo, auxiliar de saúde bucal, farmacêutico e nutricionista. Além disso, a Secretaria de Estado de Saúde contratará médicos para repor e ampliar o quadro de médicos do Sistema Penitenciário. Nas demais unidades o atendimento é realizado na rede municipal.

 

Quanto aos medicamentos, informamos que são fornecidos pelas Secretarias Municipais de Saúde e o Sistema Prisional recebe os mesmos medicamentos disponibilizados à população em geral.

Sobre o tratamento de tuberculose informamos que todos os reclusos diagnosticados com a doença recebem diariamente a medicação, mensalmente são pesados e são realizados os exames de baciloscopia de controle e avaliação clínica com intuito de acompanhar a evolução de cada paciente. Nos primeiros quinze dias de tratamento é recomendado o isolamento para não haver proliferação da doença para os demais reclusos e visitantes. Após esse período os reclusos recebendo tratamento de tuberculose e podem ter o contato normal com qualquer pessoa. 

 

A Secretaria destaca que revistas e demais procedimentos de segurança estão sendo realizados normalmente nas unidades.

 

Leia anúncio na íntegra:

 

SALVE GERAL

 

Á partir de 06/11/2017, TODA A MASSA CARCERÁRIA deverá entrar em PARALISAÇÃO devendo NÃO ACEITAR:

 

1 - QUAISQUER TIPO DE ALIMENTAÇÃO FORNECIDA PELO ESTADO;

 

2 - SUSPENDER QUAISQUER SAÍDA PARA ATENDIMENTOS FORNECIDOS PELO ESTADO ( OFICIAL,  AUDIÊNCIAS, PSICÓLOGOS, ASSISTÊNCIA SOCIAL);

 

O objetivo desta paralisação é a reivindicação de:

 

1 - MELHORIAS NA SAÚDE NAS UNIDADES PRISIONAIS DO ESTADO, ONDE HOJE VARIOS DETENTOS MORREM PELA NEGLIGÊNCIA DA PARTE DO GOVERNO QUE NÃO CONTRATA MÉDICO E FALTA DE MEDICAMENTOS ADEQUADOS PARA OS TRATAMENTOS;

 

2 - FALTA DE DENTISTA NAS UNIDADES PRISIONAIS DO ESTADO;

 

3 - FALTA DE ALAS COM MELHORES CONDIÇÕES PARA TRATAMENTOS MÉDICOS ( ESPECIALMENTE A TUBERCULOSE ) NAS UNIDADES PRISIONAIS DO ESTADO;

 

4 - SUPER LOTAÇÃO CARCERÁRIA, ONDE CELA COM CAPACIDADE PARA 8 REENDUCANDOS ABRIGAM MAIS DE 40 REENDUCANDOS;

 

5 - FALTA DE OPORTUNIDADES DE TRABALHO E ESTUDO DENTRO DAS UNIDADES PRISIONAIS DO ESTADO, ONDE A MINORIA DE REENDUCANDOS TEM ESSE PRIVILÉGIO DE DIREITO, E MUITOS FICAM ESQUECIDOS E TEM SEUS DIREITOS MASSACRADOS POR INEFICIÊNCIA DO ESTADO;

 

6 - TRANSFERÊNCIAS IRREGULARES DE REENDUCANDOS QUE SÃO TRANSFERIDOS DE FORMA CLANDESTINA, COM AVAL DA SEJUDH E SEM CONHECIMENTO  VARAS DE EXECUÇÕES PENAIS, ONDE REENDUCANDOS SÃO LEVADOS PARA TRATAMENTOS DESUMANOS COMO TORTURA PSICOLÓGICA E FÍSICA, EM UNIDADES PRISIONAIS DISTANTES, COM AVAL DO GOVERNO;

 

7 - REENDUCANDOS SENDO ISOLADOS POR TEMPO INDETERMINADO E SEM QUAISQUER JUSTIFICATIVA PLAUSÍVEL; 

 

O que reevendicamos não se trata de nada mais do que a Lei de Execução 7.210/84 nos oferece.

 

Informamos que está será uma MANIFESTAÇÃO PACÍFICA, onde só voltaremos a normalidade após termos documentos assinados de garantia por parte dos órgãos competentes como TRIBUNAL DE JUSTIÇA, SEJUDH, OAB.

 

Fica liberado todas as Alas de Tratamentos de saúde a permanecer na sua total normalidade em relação a alimentação e medicamentos, porém ficar PROIBIDO qualquer saida para forum, oficial de justiça ou semelhantes

 

Caso não haja cortes, fica liberado o recebimento de visitas

 

Desde já agradecemos a toda a massa carcerária pela luta e empenho, e contamos com todos sem exceção.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Outubro 2017 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br