Cuiabá, 18 de Novembro de 2019

POLÍCIA
Quinta-feira, 11 de Julho de 2019, 09h:57

CHOCANTE

Homem que arrancou coração da tia diz que ela 'mereceu morrer' e agora está 'purificada'

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Reprodução)

Lumar Lopes, de 28 anos, que esfaqueou e arrancou o coração da tia, Maria Zélia Cosmos, de 55 anos, em Sorriso (a 420 km de Cuiabá), confessou o assassinato e classificou o crime como “normal”, pois ela “mereceu morrer”. Em entrevista à imprensa, após depoimento que durou mais de 4 horas à polícia, ele contou que estava sob efeito de drogas, que foi “ouvindo o universo” e as coisas foram “acontecendo”.

Lumar matou a tia Maria Zélia a facadas no pescoço e tórax. Em seguida, ele arrancou o coração, enquanto ela ainda respirava, e levou o órgão para a filha da vítima. Para fugir, ele tentou sequestrar a filha da prima, de 7 anos, após confessar que gostava da menina e queria beijar sua boca. “É uma menina legal. Ela dança”, disse.

“Eu tenho a declarar que matei ela mesmo, não me arrependo e isso é normal, pois ela mereceu morrer. Eu sou normal, sou da paz. Eu ouço o universo, ele vive falando comigo. Ele disse para eu a matar e as coisas foram acontecendo. Agora ela está purificada”, declarou Lumar.

O suspeito relatou que, no dia que matou a tia, estava sob efeito da droga LSD e que não tinha planejado o crime. E que quando resolveu que seria a hora dela, ele pegou a faca na cozinha e deixou ao lado do corpo. Em seguida, pegou o coração, colocou dentro de uma sacola e entregou para a filha da vítima.

Questionado sobre o motivo de arrancar o coração, ele disse que o coração significa que se deve dar a alguém. “O coração significa que eu dou meu coração se você pedir. Pode arrancar”. Lumar relatou ainda que quando deu o coração da tia para a filha - “olha lá o coração dela. Arranquei” -, ela não acreditou e dizia: “isso não é um coração, para de mentir”.

Sobre pegar o carro da prima e bater em um transformador de energia, ele declarou que o plano era fazer uma “revolução”, abrir a cadeia e soltar os detentos. Para ele, soltar os presos significa liberar o ódio e purificar a cidade.

“O plano era realmente fazer uma revolução. O objetivo era explodir a estação, apagar a luz, abrir a cadeia e soltar o ódio. Não foi planejado, o universo falou pra mim e fui fazendo. Tem que purificar, é muita maldade”, disse Lumar.

Ele também falou sobre o relacionamento com a mãe e disse que ela é um “demônio”, mas já o pai o “ama”. Ele confessou que se arrepende de não ter matado a mãe em São Paulo, antes de chegar a Sorriso.

O caso

Após arrancar o coração da tia, Lumar Lopes colocou o coração dentro de uma sacola e levou até a filha da vítima. Segundo a Polícia Civil, o sobrinho deixou a sacola em cima de um tanque de lavar roupas.

Em seguida, Lumar, obrigou a prima, sob ameaças, para entregar as chaves de um veículo Citroen C3. Antes de fugir, ele tentou sequestrar a filha de sua prima, de 7 anos. Segundo relatos da filha de Maria, Lumar confessou que era apaixonada pela criança.

Com o veículo, ele fugiu em alta velocidade, até que bateu em um transformador de energia, depois de invadir o terreno da Energisa. Ainda no local, o suspeito tentou colocar fogo no automóvel, mas não conseguiu. Na sequência, ele seguiu a pé até ser abordado pela Polícia Militar, na Rua das Videiras.

Conforme informações da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), o suspeito usou duas facas para matar a tia. A vítima tinha ferimentos no tórax e no pescoço. O suspeito foi autuado em flagrante por homicídio qualificado, motivo fútil, de 12 a 30 anos de reclusão. 

O suspeito, a princípio, não tem passagem policial. Segundo testemunhas, o rapaz é muito inteligente, trabalhou em multinacional e fala outros idiomas.

Veja o vídeo:

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE