Cuiabá, 14 de Outubro de 2019

POLÍCIA
Quarta-feira, 09 de Outubro de 2019, 10h:41

PROCURADO

Ex-cabo da PM condenado a 105 anos de prisão foge de dentro da Rotam

Elloise Guedes
Única News

(Foto: PM-MT)

O ex-cabo da Polícia Militar, Helbert de França Silva, condenado em mais de 105 anos de prisão, fugiu das instalações do Batalhão da Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam), na tarde de domingo (6), em Cuiabá, e está sendo procurado pela polícia.

A PM divulga foto do ex-policial em grupos de WhatsApp de Mato Grosso e de outros estados, desde a manhã dessa terça-feira (8).

Helbert é investigado na "Operação Mercenários" e é considerado perigoso. O ex-policial passará por novo júri popular, em decorrência de outro homicídio, no próximo dia 17.

O Comando Geral da PM informou, por meio de nota, que foi instaurado um procedimento para investigar a fuga de Helbert. Equipes da PM fazem buscas internas no quartel da Rotam e nas áreas que ficam no entorno, além de toda a cidade. Há suspeitas de que o ex-cabo tenha fugido para Rondônia.

Fotos de Helbert são divulgadas com o telefone de contato do disque denúncia 0800-653939. As informações serão mantidas em absoluto sigilo.

Operação Mercenários

A primeira fase da Operação Mercenários foi deflagrada em 26 de abril de 2016. Ao todo, foram cumpridos 21 mandados de prisão preventiva, três buscas domiciliares e duas conduções coercitivas. A segunda fase da operação ocorreu em 20 de fevereiro de 2017.

De acordo com a Polícia Civil, ao longo de cinco meses de investigações, a Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) confirmou que as mortes eram encomendadas mediante pagamento, evidenciando o motivo torpe.

Os homicídios foram praticados em Várzea Grande, nos meses de março e abril de 2016, por pessoas associadas em organização criminosa composta de policiais militares e vigias que atuavam na região do bairro Cristo Rei.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE