Cuiabá, 23 de Janeiro de 2019

POLÍCIA
Domingo, 25 de Fevereiro de 2018, 16h:00

SEGURANÇA PÚBLICA

Crimes de homicídios reduzem 27% em Mato Grosso no mês de janeiro

Da Redação

Foto: Reprodução

pm

 

O primeiro mês de 2018 registrou redução de 27% nos crimes de homicídios em todo o estado. Nos 31 dias de janeiro foram contabilizados 63 assassinatos, enquanto que no mesmo período do ano passado foram 86 registros. Os dados são do Sistema de Registros de Ocorrências Policiais (SROP) e podem sofrer alteração após a confirmação pelas delegacias no Sistema Nacional de Segurança Pública (Sinesp).

 

As ações repressivas e ostensivas das forças de segurança, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Politec e Detran, reduziram 100% os índices de homicídios na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) de Pontes e Lacerda.

 

Durante o mês de janeiro de 2018 não houve nenhum homicídio nas cidades que compõem a Risp 12, enquanto que no mesmo período do ano passado foram quatro casos. Além da cidade polo de Pontes e Lacerda, fazem parte da Risp as cidades: Vila Bela da Santíssima Trindade, Comodoro, Nova Lacerda, Jauru, Campos de Júlio, Conquista D’Oeste, Figueirópolis D’Oeste, Vale do São Domingos e Rondolândia. 

 

Na Risp de Cáceres, a redução nos crimes de homicídios foi de 75%. Se somados os números de homicídios nas 12 cidades que compõem a Risp, foram quatro homicídios em 2017. Enquanto que em 2018 foi apenas um caso. Fazem parte da Risp 6 as cidades: Araputanga, Mirassol d’Oeste, Rio Branco, São José do Quatro Marcos, Salto do Céu, Porto Esperidião, Curvelândia, Glória D’Oeste, Indiavaí, Lambari D’Oeste e Reserva do Cabaçal.

 

Outras Risps que tiveram reduções foram Sinop (7%), Tangará da Serra (50%), Juína (75%), Alta Floresta (33%), Cuiabá (9%) e Vila Rica (83%).


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO



VÍDEO PUBLICIDADE