Cuiabá, 23 de Julho de 2019

POLÍCIA
Terça-feira, 18 de Junho de 2019, 19h:04

EM FRENTE À VALLEY PUB

Carro que atropelou jovens estava a 57 km/h, aponta perícia

Fernanda Nazário
Única News

A análise de conteúdo dos vídeos que registraram o atropelamento de três jovens em frente à Boate Valley Pub, na Avenida Isaac Póvoas, em 23 de dezembro de 2018, foi concluída pela Gerência de Perícias de Áudio e Vídeo da Politec. O laudo pericial foi requisitado pelo delegado Cristhian Cabral, com o objetivo de analisar especificamente as imagens da ocorrência.

O exame constatou que a velocidade média do veículo conduzido pela bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro era de 57 km/h com margem de erro de 6km/h, para mais ou para menos. Para as análises foram empregados conceitos de Física e de Processamento Digital de Imagens.

O cálculo de velocidade consiste na determinação da distância percorrida pelo veículo em um determinado intervalo temporal. O resultado foi obtido com a utilização das gravações originais do incidente em conjunto com as filmagens obtidas pelos peritos com a mesma câmera de segurança que registrou o fato, para a medição do deslocamento do veículo até o momento da colisão.

Os dados do deslocamento foram obtidos por meio de uma régua graduada, desenvolvida com um tubo de PVC posicionado perpendicularmente, ora a cada um metro, ora a cada dois metros da pista, durante um intervalo não superior a um minuto, sendo possível a elaboração de um “gabarito de referência”, que foi sobreposto aos quadros do vídeo original do incidente.

Os laudos periciais foram anexados ao inquérito policial, dando seguimento às investigações.

Entenda o caso

O cantor Ramon Alcides Viveiros, 25 anos, e as estudantes de Direito Myllena Lacerda Inocêncio, de 22, e Hya Girotto, de 21, foram atropelados em frente à Valley após saírem da boate.

Myllena morreu no local do acidente. Seis dias após o atropelamento, Ramon teve a morte cerebral declarada. Já Hya Girotto foi a única sobrevivente. Ela ficou cerca de 20 dias internada no Hospital Geral (HGU), passou por quatro cirurgias e recebeu alta.

De acordo com informações de testemunhas, as vítimas saíram da casa noturna em aparente estado de embriaguez. Uma delas, inclusive, estaria “dançando” no meio da av. Isacc Póvoas no momento do acidente. As testemunhas relatam ainda que a professora da UFMT dirigia em alta velocidade.

A suspeita dirigia uma picape Renault Oroch quando atingiu três jovens que saiam da Valley Pub, foi presa momentos após o acidente, ficou detida na Central de Flagrantes até o momento da audiência de custódia e foi liberada após pagar nove salários mínimos. Atualmente ela responde pelo crime em liberdade.

O atropelamento foi registrado por câmeras de segurança. No atropelamento, Rafaela tentou fugir, mas acabou detida. Ela se recusou a fazer o teste do bafômetro, porém, estava embriagada conforme a Politec. (Com informações da assessoria)

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE