Cuiabá, 18 de Janeiro de 2020

POLÍCIA
Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019, 10h:57

IMPUNIDADE

Agressor confesso de pelo menos quatro mulheres, médico é solto mais uma vez pela Justiça

Elloise Guedes
Única News

(Foto: Facebook)

O médico Emilson Miranda Júnior, de 30 anos, preso por agredir mais uma mulher no dia 12 deste mês, teve a prisão revogada pela juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa, da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher, no fim da tarde dessa quinta-feira (21).

Conforme a decisão, o médico passará a ser monitorado por tornozeleira eletrônica e terá que cumprir outras medidas cautelares.

A juíza determinou ainda, no processo que corre em segredo de justiça, que a vítima receba um “botão do pânico”, que poderá acionar caso se sinta ameaçada pelo agressor.

Entenda o caso

Equipes da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá cumpriram o mandado de prisão preventiva contra o médico, no dia 12 de novembro, após uma denúncia de agressão feita por uma mulher, que não teve a identidade revelada.

O mandado foi deferido pela 1ª Vara da Violência Doméstica e Familiar da Comarca de Cuiabá. Ele foi ouvido no inquérito policial referente à ocorrência registrada pela vítima no início deste mês e depois encaminhado para audiência de custódia na Justiça.

O suspeito responde a outros inquéritos instaurados pela Delegacia da Mulher de Cuiabá.

Outros casos

Em fevereiro deste ano, uma empresária de 39 anos denunciou o médico, que era namorado dela, após ser espancada com socos na cabeça. Além de espancá-la, o médico ameaçou cortar a filha da vítima “em mil pedaços”. Ele foi preso e liberado no mês de abril.

Em 2017, Emilson Miranda foi preso após agredir uma outra namorada. Segundo o relato da vítima, uma professora de educação física de 35 anos, ela foi agredida com socos e tapas no rosto e na cabeça.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE