Igreja Batista Getsemâni

Selma admite conversa com Pivetta e diz que não subirá em palanque com fichas-sujas

Luana Valentim

(Foto: Reprodução/Web)

juiza selma arruda.jpg

 

A juíza aposentada e pré-candidata ao Senado, Selma Arruda (PSL), disse nesta quarta-feira (13) que o Partido Social Liberal está em busca de coligações e destacou que não pretende subir ao palanque com candidatos ‘fichas-sujas’. Quanto ao pré-candidato Dilceu Rossato, do mesmo partido, Selma afirma que ainda não foi feito um comunicado formal sobre sua desistência.

 

O partido está em busca de aliados para dar estrutura a campanha, com o cuidado de não fazer coligações que possam constranger os candidatos, ou seja, partidos que tenham entre seus membros pessoas delatadas e processadas. “Não quero subir ao palanque com ficha suja, não abro mão disso”.

 

A juíza aposentada ainda fala que as coligações são tratadas pelo diretor regional do partido, o deputado estadual Vitório Galli, que tem se reunido com outras pessoas e futuros candidatos, como o pedetista Otaviano Pivetta.

 

“Nós tivemos até uma reunião com o governador Pedro Taques PSDB), que foi um mote para essa desistência do Rossato, e existe também uma via que é pelo PSC, com o pré-candidato ao governo Reinaldo Moraes da Suínobras, ele se apresentou como pré-candidato no último sábado (9), e também é uma opção muito leve, muito boa, a gente se sentiria bastante confortável com essas pessoas no palanque”.

 

Ela acredita que Reinaldo é um forte candidato e que está preparado, uma vez tem se mostrado um bom administrador, sendo bem-sucedido em seus negócios.

 

Ao ser questionada por uma possível coligação como o Partido da Social Democracia Brasileira, Selma esclareceu que não se sentiria confortável com alguns membros, porém não tem nada contra o governador, deixou nas entrelinhas que se acaso mudar as companhias, pode ser uma possibilidade a se discutir.

 

Já sobre o fato de Taques ter lhe consentido o direito de escolta temporária, a juíza aposentada afirmou que a decisão não foi política, foi humanitária.  "O fato de ele ter me concedido a segurança foi por ele ter passado pelo mesmo, onde foi ameaçado e ficou sem escolta, tendo também essa negativa na ocasião em que saiu da procuradoria, então ele teve essa sensibilidade por esse motivo, acho que não tem muita relação com uma provável coligação”.

 

Selma falou que não vê a possibilidade de Pivetta sair como vice de Mauro, já que o ex-prefeito de Lucas tem declarado estar firme na sua pré-candidatura ao governo. “Ele tem fôlego e musculatura política para tentar uma candidatura ainda que sem a participação do Mauro Mendes”.

 

A magistrada ainda faz questão de assegurar que sua legenda só irá se coligar com partidos que caiba sua candidatura.

 

 


Fonte: Revista Única

Visite o website: wwww.unicanews.com.br